Busca avançada
Ano de início
Entree

Estresse oxidativo em cães obesos: associação com a ativação da resposta inflamatória e a doença renal

Resumo

Assim como em humanos, a obesidade é a doença nutricional mais comum, uma epidemia moderna que em várias regiões afeta mais de 30% da população canina. Em humanos e animais de laboratórios, porém não em cães, está bem estabelecida a relação entre a obesidade, o estresse oxidativo e a doença renal. O comprometimento renal tem sido relatado em cães obesos, porém a associação entre o acumulo de tecido adiposo, a ativação da resposta inflamatória, o estresse oxidativo e a doença renal não foi tão bem estabelecida como em humanos. Recentemente nosso grupo de pesquisa comprovou que o estresse oxidativo ocorre em cães com doença renal crônica e em um estudo piloto foi possível observar a ativação do metabolismo oxidativo de neutrófilos em cães obesos. Neste sentido será realizada uma abordagem multidisciplinar (Diagnóstico de imagem, clínico e laboratorial) sobre a obesidade canina a fim de obter resultados que contribuam para o melhor entendimento sobre a relação entre a resposta inflamatória, o estresse oxidativo e a função renal de cães obesos. Para tal será realizado um estudo clínico observacional analítico e transversal, com cães com boa condição (controle), com sobre peso e obesos. Os cães obesos com doença renal serão submetidos a um estadiamento, conforme critérios IRIS (2013). Será quantificada o grau de associação entre as alterações de diferentes marcadores de obesidade, da resposta inflamatória, do estresse oxidativo e da lesão renal. Para tal, de todos cães selecionados serão mensuradas as alterações dos marcadores de obesidade (Escore corporal; índice de massa corporal, adiponectina e leptina plasmática), lesão renal (UPC, microalbuminúria, Cistatina C plasmática, índice de resistência e pulsatilidade renal), marcadores da resposta inflamatória (proteína C reativa, TNF±., IFN-gama, IL-2, IL-4 e IL-10, produção neutrofílica de superóxido e peróxido de hidrogênio) e marcadores de estresse oxidativo (Albumina, bilirrubina, ácido úrico, GGT, capacidade antioxidante total, concentração total de oxidante, MDA plasmático). Os resultados serão processados estatisticamente a fim de testar as seguintes hipóteses: (1) O estresse oxidativo varia com o grau de obesidade dos cães; (2) As concentrações plasmáticas das citocinas pró-inflamatórias variam com o grau da obesidade em cães; (3) Em cães obesos ocorre aumento do metabolismo oxidativo dos neutrófilos; (4) Há associação entre as concentrações plasmáticas das citocinas pró-inflamatórias e o aumento do metabolismo oxidativo dos neutrófilos em cães obesos; (5) O aumento do metabolismo oxidativo dos neutrófilos está associado ao estresse oxidativo em cães obesos e (6) O aumento do estresse oxidativo está associado com as lesões renais e com o comprometimento do fluxo renal em cães obesos. A presente proposta está vinculada aos projetos de pesquisa de duas dissertações de mestrado e dois projetos de doutorado junto ao programa de Ciência Animal da FMVA-UNESP. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BOSCO, A. M.; ALMEIDA, B. F. M.; VALADARES, T. C.; BAPTISTIOLLI, L.; HOFFMANN, D. J.; PEREIRA, A. A. F.; LIMA, V. M. F.; CIARLINI, P. C. Preactivation of neutrophils and systemic oxidative stress in dogs with hyperleptinemia. VETERINARY IMMUNOLOGY AND IMMUNOPATHOLOGY, v. 202, p. 18-24, AUG 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.