Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de associativismo político e cultural negro: Associação Cultural do Negro (1954-1976)

Processo: 14/24650-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Mário Augusto Medeiros da Silva
Beneficiário:Mário Augusto Medeiros da Silva
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Intelectuais  Negros  Relações raciais  Associativismo  Pensamento social 

Resumo

A ideia central deste projeto é discutir o associativismo político e cultural de militantes negros, entre os anos 1950 e meados de 1970. A principal fonte primária da pesquisa é o acervo documental da Associação Cultural do Negro [ACN] (1954-1976), importante coletivo de intelectuais e ativistas negros, sediado na capital paulista e pouco estudada pela bibliografia especializada. Nele encontram-se correspondências e documentos oficiais que permitem reconstruir aspectos de seu quotidiano formativo, debates de ideias e interlocução com diferentes sujeitos e esferas sociais, negros e não negros, no Brasil e no exterior. Há relações com a história da sociologia paulista, já que alguns dos membros da ACN foram colaboradores das pesquisas ou interlocutores de Florestan Fernandes, Roger Bastide, Octavio Ianni entre outros. Considerando a ausência de estudo sistemático sobre aquela Associação e escassez de discussões sobre esse tipo de associativismo negro no Brasil, além de suas possíveis articulações internacionais junto aos debates sobre Négritude, Panafricanismo, lutas anticoloniais etc. - pretende-se realizar estudo sobre a formação e composição da ACN para entender como, entre 1956 e 1964, na exiguidade de seus recursos, ela logrou se tornar uma referência para diferentes interesses, nacional e internacionalmente. Mas também, dada sua importância, o que a levou ao declínio na década seguinte, fechando sua portas, após mudanças e complicações, em 1976. Com isto, o intuito é contribuir para o debate sociológico no que se refere aos estudos do Pensamento Social, estudo das relações sociais racializadas e à história do associativismo político e cultural negro no Brasil. (AU)