Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa baseada em inteligência forense na Austrália e Brasil

Processo: 14/50362-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: Australian Technology Network of Universities (ATN)
Pesquisador responsável:Bruno Spinosa De Martinis
Beneficiário:Bruno Spinosa De Martinis
Pesq. responsável no exterior: Claude Roux
Instituição no exterior: University of Technology, Sydney (UTS), Austrália
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Ciências forenses 

Resumo

A inteligência forense representa uma abordagem diferente para o uso tradicional da ciência forense, que é predominantemente focado em resultados judiciais. A hipótese é que uma utilização mais estratégica dos dados forenses existentes possa contribuir para uma relação sinérgica entre a ciência forense, análise de crime e investigação. O principal objetivo desse intercâmbio é avaliar as diferentes experiências entre os dois países em relação à resolução de problemas legais. As diferenças notáveis entre as duas realidades dos países são uma rica oportunidade para troca de conhecimento com benefícios mútuos. O objetivo australiano inclui o estabelecimento de vínculos de apreensão de drogas ilícitas e país de origem. A avaliação de cada abordagem será conduzida usando a eficiência computacional, robustez e estabilidade estatística. O objetivo brasileiro envolve três linhas principais: a) desenvolvimento e validação de métodos analíticos utilizando extração e técnicas cromatográficas para a investigação de drogas de abuso lícitas e ilícitas em amostras post-mortem e in vivo, em amostras biológicas convencionais e alternativas, como o suor, o cabelo, saliva e mecônio, entre outras, b) O uso de técnicas de química teórica e quimiometria para avaliar o comportamento de drogas ilícitas e os derivados. (AU)