Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da interação funcional do campo magnético contínuo em roedores isquêmicos e saudáveis pós-injeção de drogas ansiolítica, ansiogênicas, ativadoras e depressoras do comportamento motor

Processo: 14/26561-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:João Eduardo de Araujo
Beneficiário:João Eduardo de Araujo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Comportamento exploratório  Campo magnético  Isquemia encefálica  Gerbillinae 

Resumo

Há décadas os campos magnéticos (CMs) são alvo de investigação científica. Trabalhos demonstraram sua influência sobre diversos sistemas biológicos, na modulação do influxo celular de cálcio e na manutenção da homeostase comportamental. Entretanto, o grande corpo de evidências, está relacionado a campos eletromagnéticos e não a campos magnéticos contínuos. Assim, é necessário continuar a investigação da interferência dos CMs contínuos. Nosso interesse é direcionado para a modulação das respostas comportamentais e motoras, na preservação de neurônios pós-lesão isquêmica e na possibilidade de uma interferência funcional com drogas que modifiquem a neurotransmissão encefálica. Com essa finalidade iremos realizar dois experimentos. Experimento I: 144 gerbilos divididos em 12 grupos. Três dias anteriores a cirurgia de oclusão bilateral das artérias carótidas e implantação de um capacete magnético, os animais serão habituados no Rotarod (RR) e, 24 horas antes da cirurgia no Monitor de atividades (MA). No quarto dia pós-cirúrgico, os animais terão seu comportamento avaliado no MA por 15 minutos e posteriormente no RR. Grupos individuais receberão injeção de salina, ou de apomorfina (1mg/Kg) ou de racloprida (0,9mg/Kg) 5 minutos antes da avaliação no MA. Após o experimento, os animais serão sacrificados, os encéfalos dissecados, congelados, cortados, montados em lâminas e corados com técnicas de Nissl e Golgi. Ainda, serão imunomarcados com anti caspase-3 pAb para avaliação de morte apoptótica. Experimento II: 120 ratos Wistar machos serão divididos em 10 grupos. No quarto dia após implantação do capacete magnético, os animais terão seu comportamento avaliado no labirinto em cruz elevado por 5 minutos. Grupos específicos receberão injeção de salina, ou de pentilenotetrazol (30mg/kg) e ou de alprazolam (1ml/kg) 30 minutos antes desta avaliação. Os dados comportamentais, morfológicos e histoquímicos serão submetidos a ANOVA e ANCOVA. As diferenças detectadas serão evidenciadas pelo teste post hoc de Holm-Sidak. (AU)