Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da adição de nanopartículas de hexametafosfato de clorexidina em propriedades de um cimento de ionômero de vidro de alta viscosidade

Processo: 15/00928-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2015 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Elisa Maria Aparecida Giro
Beneficiário:Elisa Maria Aparecida Giro
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesq. associados:Angela Cristina Cilense Zuanon ; Fernanda Lourenção Brighenti
Bolsa(s) vinculada(s):15/14328-3 - Efeito da adição de nanopartículas de hexametafosfato de clorexidina em propriedades de um cimento de ionômero de vidro de alta viscosidade, BP.TT
Assunto(s):Odontopediatria  Cimentos de ionômeros de vidro  Nanotecnologia  Nanopartículas  Antibacterianos  Clorexidina 

Resumo

O uso da nanotecnologia nas ciências da saúde tem aumentado significativamente nos últimos anos e é de grande relevância em Odontologia. Neste estudo será avaliada a influência da incorporação de nanopartículas de hexametafosfato de clorexidina (CLX - HMP) a um cimento de ionômero de vidro (CIV) de alta viscosidade nas suas propriedades físico-químicas, mecânicas e antibacterianas. Após a síntese e caracterização das nanopartículas, estas serão adicionadas ao CIV nas concentrações de 1%, 2% e 5%. O CIV sem adição de nanopartículas será usado como grupo controle. Na primeira parte do estudo será analisada a capacidade de liberação de clorexidina e de liberação e recarregamento de flúor. Para cada teste, espécimes (n= 10 por grupo) medindo 6 mm de diâmetro e 3 mm de altura serão mantidos em 1 mL de saliva artificial a 37ºC por 1 h, 24 h, 7, 15 e 30 dias. A concentração de CLX na saliva será medida por espectrofotometria ultravioleta a 255 nm e a dosagem do flúor será feita por eletrodo específico para íons flúor. No 30º dia, os espécimes receberão uma aplicação tópica de flúor e a liberação será medida após 1 h, 24 h, 7, 15 e 30 dias para avaliar o recarregamento do íon flúor. Na segunda parte do estudo, serão analisadas a composição microbiológica e bioquímica, bem como, a atividade metabólica e a biomassa do biofilme formado sobre espécimes de CIV contendo as mesmas concentrações de nanopartículas de CLX - HMP (n=10 por grupo e tipo de análise). Biofilmes polimicrobianos crescerão sobre cada espécime, que ficará suspenso em 2,0 mL de meio de Mc Bain e saliva diluída em glicerol (106 ufc/mL). A incubação será feita em condições de anaerobiose a 37oC por 72 horas. Em seguida, serão quantificados microrganismos totais, bactérias acidúricas totais, estreptococos do grupo mutans e lactobacilos. Serão também avaliados a atividade metabólica, pelo ensaio de XTT, a biomassa pela coloração por cristal violeta e a análise bioquímica, pela verificação da produção de proteínas, carboidratos e de ácido lático. Finalmente, será estudada a adesão do material à dentina sadia e afetada por cárie, usando o teste de microcisalhamento. Serão utilizados 80 terceiros molares humanos, os quais serão divididos em dois grupos (n=40) de acordo com a condição do substrato (dentina sadia e afetada por cárie) e, em seguida, cada um destes será dividido em quatro sub grupos (n=10), de acordo com a concentração de nanopartículas de CLX - HMP adicionadas ao CIV (0%, 1%, 2% e 5%). Sobre a superfície de dentina de cada dente serão confeccionados dois espécimes com 1 mm de diâmetro e 1 mm de altura. O teste de microcisalhamento será realizado 24 horas após a confecção em um dos espécimes e depois de seis meses de armazenamento, no outro espécime. Em seguida, serão avaliados os padrões de fratura, de forma descritiva. De acordo com a distribuição dos dados e a homogeneidade de variâncias, serão aplicados os testes mais adequados para cada conjunto de dados. O nível de significância estabelecido será de 5%. (AU)