Busca avançada
Ano de início
Entree

A construção dos patrimônios (da humanidade) em unidades de conservação no estado de São Paulo: memórias ambientais, comunidades e discursos autorizados do patrimônio

Processo: 13/22316-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Aline Vieira de Carvalho
Beneficiário:Aline Vieira de Carvalho
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Cristina Fachini
Bolsa(s) vinculada(s):17/04064-4 - A construção dos patrimônios (da humanidade) em unidades de conservação no estado de São Paulo: memórias ambientais, comunidades e discursos autorizados do patrimônio, BP.TT
16/16574-4 - A construção dos patrimônios (da humanidade) em unidades de conservação no estado de São Paulo: memórias ambientais, comunidades e discursos autorizados do patrimônio, BP.TT
16/09023-1 - A construção dos patrimônios (da humanidade) em unidades de conservação no estado de São Paulo: memórias ambientais, comunidades e discursos autorizados do patrimônio, BP.TT
15/12675-8 - A construção dos patrimônios (da humanidade) em unidades de conservação no estado de São Paulo: memórias ambientais, comunidades e discursos autorizados do patrimônio, BP.TT
Assunto(s):Áreas de conservação  Parques estaduais  Memória social  Patrimônio imaterial  Meio ambiente 

Resumo

A presente pesquisa apresenta dois objetivos centrais: 1) Produzir um mapeamento das mudanças nas memórias ambientais, a partir do viés do patrimônio material e imaterial, dos Parques Estadual Carlos Botelho e Estadual Intervales; e, 2) analisar os discursos institucionais voltados para a definição e a gestão dos patrimônios materiais e imateriais nessas áreas de preservação ambiental do Estado de São Paulo. Temos observado na bibliografia acadêmica nacional e nos bancos de dados dos órgãos responsáveis pela gestão tanto das Unidades de Conservação como dos Patrimônios Materiais e Imateriais (sejam nas esferas Internacional, Federal, Estadual ou Municipal) uma lacuna ao que se refere aos cruzamentos de dados entre os patrimônios e essas áreas de preservação da natureza. Esses silenciamentos não são exclusivos de nosso tempo presente, mas, parecem formar uma longa duração que tem perdurado em nosso cenário cultural e, em especial, tem tidos efeitos reais nos cotidianos das diversas comunidades que vivem nessas áreas de preservação. Nesta investigação, a partir das bases teóricas da História Ambiental e da História e Arqueologia Pública, almejamos compreender a construção destes discursos, tanto no âmbito das políticas patrimoniais como as das políticas de gestão das Unidades de Conservação do Estado de São Paulo, assim como as suas consequências para a formação de nossas "memórias ambientais". Nossos estudos de caso foram escolhidos por se configurarem como Patrimônio da Humanidade e por juntos formarem um expressivo complexo de Mata Atlântica. Apesar da exuberante beleza natural, as áreas concentram comunidades que enfrentam graves problemas sociais e seus patrimônios materiais ou imateriais parecem passar por um expressivo processo de silenciamento; que será mapeado e demonstrado através de recursos cartográficos. Almejamos, portanto, compreender essa díade patrimônio - unidade de conservação, destacando os saberes locais. (AU)