Busca avançada
Ano de início
Entree

Genética e registros médicos eletrônicos para prever resultado em pacientes com insuficiência cardíaca: construindo a ponte entre a epidemiologia genética brasileira e britânica na insuficiência cardíaca

Processo: 14/50832-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2015 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Convênio/Acordo: CONFAP ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil ; MRC, UKRI
Pesquisador responsável:Alexandre da Costa Pereira
Beneficiário:Alexandre da Costa Pereira
Pesq. responsável no exterior: Frank Dudbridge
Instituição no exterior: London School of Hygiene and Tropical Medicine, Inglaterra
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Registros médicos  Insuficiência cardíaca 
Publicação FAPESP:https://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/fapesp_uk_ofXtyql_88_88.pdf

Resumo

Estudos adotando registros médicos eletrônicos (EMR) e informações genômicas estão sendo cada vez mais utilizados. Através desta nova modalidade de pesquisa, é possível estudar como variantes genéticas influenciam a susceptibilidade para doenças crônicas e pode melhorar o atendimento ao paciente. Tanto o Brasil e Reino Unido estão desenvolvendo projetos no sentido de utilizar esta informação para prever diferentes resultados em pacientes com insuficiência cardíaca. Nosso objetivo é desenvolver um projeto colaborativo com pacientes com insuficiência cardíaca no Brasil e dados gnômicos já disponíveis, conduzindo estudos de associação do genoma (GWAS) para a derivação de marcadores alvos associados à fenótipos desta doença e utilizar estudos de coorte realizados no Reino Unido para validar estes novos marcadores alvos. Métodos: Pacientes entre 18 e 80 anos, com diagnóstico de insuficiência cardíaca de diferentes etiologias e fração de ejeção ventricular esquerda <50%, com dados GWAS já gerados serão elegíveis para inclusão no estudo. Análise GWAS será realizada utilizando como variáveis dependentes, etiologia, fração de ejeção ventricular esquerda e incidência combinada de eventos cardiovasculares (mortalidade por todas as causas, mortalidade cardiovascular, hospitalização por piora da insuficiência cardíaca e uso de medicação atual). A fase de descoberta usará dados sobre 1.000 pacientes brasileiros. Vamos investigar os efeitos de vários algoritmos de imputação de dados (utilizando dados de 1000 genomas). Em um segundo estágio, os principais resultados serão testados contra estudos britânicos observacionais tipo coorte. Resultados esperados: A criação de um grupo de trabalho Brasil-Reino Unido focado no desenvolvimento e implementação de algoritmos para validação e aplicação de rotinas médicas que utilizam a informação genética para tratamento da insuficiência cardíaca. Além disso, ampliação da capacitação profissional de jovens investigadores, e realização um estudo piloto de amostras de plasma ou soro em metabolômica com a plataforma Metabolon/ EUA e com uma plataforma de proteômica. Finalmente, apresentar, uma prova de conceito com dados brasileiros de GWAS usando dados de sequenciamento para a imputação e o impacto da estratificação da população com marcadores genéticos conhecidos para características bem estabelecidas disponíveis na coorte brasileira. (AU)