Busca avançada
Ano de início
Entree

Utilização de zinco, na forma de óxido de zinco nanoparticulado, em dietas para leitões recém-desmamados

Resumo

O período imediatamente após o desmame é crítico para os leitões devido a sua maior susceptibilidade ao estabelecimento de infecções e desenvolvimento de doenças, principalmente a diarreia, podendo comprometer o desempenho do animal. O zinco (Zn), na forma de óxido de Zn, é um eficiente agente antimicrobiano, tendo sido amplamente utilizado em doses farmacológicas em dietas de leitões recém-desmamados para o controle da diarreia pós-desmame e para a melhoria do desempenho. Entretanto, devido à baixa absorção, grande parte do Zn ingerido na forma de óxido de Zn é eliminada nas excretas, podendo causar contaminação ambiental e efeitos adversos na diversidade microbiana ambiental. Desta forma, estudos vêm avaliando novas formas de suplementação de Zn, dentre eles, o óxido de Zn nanoparticulado, normalmente utilizado na indústria química e farmacêutica. O óxido de Zn nanoparticulado, devido ao seu menor tamanho de partícula e maior área superficial específica, possui maior atividade química e antimicrobiana e maior taxa de absorção. Porém os estudos científicos sobre sua utilização na nutrição animal são escassos, sobretudo na de leitões recém-desmamados. O objetivo deste estudo é avaliar os efeitos da suplementação de óxido de Zn nanoparticulado em dietas para leitões recém-desmamados sobre o desempenho zootécnico, a frequência de diarreia, a digestibilidade da dieta, os parâmetros sanguíneos, a morfometria e pesos de órgãos, a histologia do epitélio intestinal, a contagem bacteriana no intestino e a excreção de Zn nas fezes. Serão utilizados 192 leitões recém-desmamados em um experimento em blocos completos (definidos pelo peso inicial e sexo) casualizados, com 6 tratamentos, 8 repetições (blocos) por tratamento e 4 animais por unidade experimental (baia). Os tratamentos serão: controle negativo - dieta basal com 100 mg de Zn/kg (na forma de óxido de Zn convencional) para atender as exigências metabólicas dos leitões; controle positivo (dieta basal suplementada com óxido de Zn convencional em dose farmacológica utilizada na prática para a melhoria do desempenho - 3000 mg de ZnO/kg); e níveis de 15, 30, 60 e 120 mg de Zn/kg, na forma de óxido de Zn nanoparticulado, adicionados on top à dieta basal. As rações e a água serão fornecidas à vontade durante o período experimental de 35 dias. Os animais serão pesados no 1º, 7º, 21º e 35º dia do experimento. A ocorrência de diarreia será registrada diariamente. Amostras de fezes serão coletadas para determinação da digestibilidade da dieta e quantificação do Zn excretado. 2 dias antes do abate, serão coletadas amostras de sangue para quantificação de parâmetros sanguíneos. No 21° dia do experimento, 1 animal de cada baia será abatido para a realização do estudo histológico do epitélio intestinal e da morfometria e pesos dos órgãos. Amostras de conteúdo do jejuno e do ceco serão coletadas para contagem bacteriana. Os dados serão submetidos à análise de variância, utilizando o procedimento MIXED do SAS®, e à regressão polinomial. Contrastes ortogonais serão utilizados para comparar o tratamento controle positivo com cada um dos níveis de óxido de Zn nanoparticulado. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MILANI, N. C.; SBARDELLA, M.; IKEDA, N. Y.; ARNO, A.; MASCARENHAS, B. C.; MIYADA, V. S. Dietary zinc oxide nanoparticles as growth promoter for weanling pigs. ANIMAL FEED SCIENCE AND TECHNOLOGY, v. 227, p. 13-23, MAY 2017. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.