Busca avançada
Ano de início
Entree

Combate à resistência bacteriana: compostos de coordenação são alternativas para a inibição de metalo-beta-lactamases?

Processo: 15/09905-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2015 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Camilla Abbehausen
Beneficiário:Camilla Abbehausen
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Química bioinorgânica  Farmacorresistência bacteriana  Resistência beta-lactâmica  Carbapenêmicos  Compostos de coordenação 

Resumo

De acordo com os dados da Organização Mundial de Saúde a resistência bacteriana aos antibióticos vem comprometendo o avanço da medicina moderna. Os compostos beta-lactâmicos constituem a principal família de fármacos no tratamento de infecções. Porém, o amplo e mau uso destes compostos desencadearam a evolução dos mecanismos de resistência dos patógenos. Dentre os mecanismos descritos, o mais importante consiste na inativação química dos antibióticos por ação de enzimas hidrolíticas, as beta-lactamases. Diversas beta-lactamases foram encontradas e classificadas conforme suas estruturas. Inibidores foram associados aos antibacterianos na tentativa de superar os mecanismos de resistência. Mas, uma classe emergiu como uma grande ameaça aos tratamentos de infecções, pois além de hidrolisar quase todos os compostos beta-lactâmicos, não há inibidores clínicos disponíveis, a das metalo-beta-lactamases. Diferentemente das demais classes, esta é composta por zinco-proteínas. Os inibidores investigados até agora apresentam limitações para uso clínico.Complexos metálicos têm sido aplicados com sucesso na clínica com destaque para o antitumoral cis-diaminodicloroplatina(II). Estudos mostram que metais em geral agem como eletrófilos sobre resíduos coordenados a zinco, e zinco-proteínas têm sido detectadas como alvos farmacológicos interessantes para complexos metálicos. Desta forma, compostos de coordenação se apresentam como alternativas promissoras no desenvolvimento de inibidores para metalo-beta-lactamases.Neste projeto pretende-se explorar a interação dos íons metálicos Pt(II), Pd(II), Au(III), Au(I) e Ag(I) e seus complexos com as metalo-beta-lactamases. A capacidade de inibição da atividade catalítica destas enzimas por metais e seus complexos será avaliada. Estudos mecanísticos são propostos utilizando complexos miméticos e métodos computacionais. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERRARESSO, L. G.; DE ARRUDA, E. G. R.; DE MORAES, T. P. L.; FAZZI, R. B.; FERREIRA, A. M. DA COSTA; ABBEHAUSEN, C. Copper(II) and zinc(II) dinuclear enzymes model compounds: The nature of the metal ion in the biological function. Journal of Molecular Structure, v. 1150, p. 316-328, DEC 15 2017. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.