Busca avançada
Ano de início
Entree

Assessment of contamination of the beach clam Tivela mactroides: implications for food safety of a recreational and subsistence marine resource in Caraguatatuba bay, Brazil

Processo: 15/06339-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2015 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Alexander Turra
Beneficiário:Alexander Turra
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia aplicada 

Resumo

O berbigão Tivela mactroides é um importante recurso de praias arenosas ao longo da costa oeste do Atlântico, sendo amplamente consumido por turistas e moradores para uso recreativo, de subsistência e/ou para fins econômicos. Esses moluscos bivalves são intensamente explorados na Enseada de Caraguatatuba, na costa sudeste do Brasil. Da mesma forma que a maioria das zonas costeiras todo o mundo, esta baía está sujeita a uma série de ameaças ambientais derivadas da ocupação humana (por exemplo, esgoto) e as atividades econômicas (por exemplo, derrames de petróleo). Considerando-se o histórico de alterações nesta área e os planos atuais de desenvolvimento, espera-se um aumento nas pressões ambientais. Esta perspectiva levanta preocupações em relação à segurança alimentar dos da população, incluindo coletores de berbigão, que consomem animais coletados no local. De modo a gerar informação de base para comparar com situações futuras, este estudo analisou a contaminação da carne de molusco por microorganismos (coliformes fecais, Salmonella sp., Vibrio cholerae e Staphylococcus aureus) e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs). As avaliações preliminares revelaram níveis de contaminação de microrganismos acima do limites máximos permitidos na legislação brasileira; com níveis mais elevados na porção central da baía. Avaliações temporais em três pontos de amostragem nesta área revelaram contaminação durante todo o ano por todos os microorganismos, ou seja, um risco contínuo para os consumidores. Embora a eficácia do tratamento térmico utilizado pelos consumidores não tenha sido formalmente testado no presente estudo, ele tem o potencial de reduzir a contaminação por coliformes fecais, Salmonella sp. e S. aureus para níveis seguros, como demonstrado nas duas amostras analisadas. No entanto, embora S. aureus possa ter sido totalmente eliminado, suas toxinas tolerantes ao calor ainda podem afetar os consumidores. As concentrações de compostos individuais (congêneres) e totais de HPAs indicaram contaminação derivada de derrames de petróleo. Os resultados levantam preocupações em relação à essa atividade tradicional de pequena escala, que pode ser ameaçada pela intensificação das atividades humanas na região costeira, demandando assim a necessidade de acompanhamento contínuo da qualidade do berbigão, medidas eficazes de comunicação dos riscos para os consumidores e para reduzir tanto esgoto e da poluição industrial. (AU)