Busca avançada
Ano de início
Entree

Colly Smart - desenvolvimento de armadilhas inteligentes para ratos

Processo: 14/22724-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2015 - 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Circuitos Elétricos, Magnéticos e Eletrônicos
Pesquisador responsável:Marcus de Simoni Craveiro
Beneficiário:Marcus de Simoni Craveiro
Empresa:Colly Química Indústria e Comércio Ltda. - EPP
Município: Capivari
Pesq. associados:Glauber Edurado Sapia
Auxílios(s) vinculado(s):16/01641-8 - Colly Smart - desenvolvendo armadilhas inteligentes para ratos, AP.PIPE
Assunto(s):Sensores  Manejo integrado  Controle de pragas  Iscas  Ratos  Raticidas 

Resumo

Há quem diga que o rato é o pior inimigo do homem. Ele tem essa fama porque é a praga urbana que mais causa doenças e danos materiais, desde o surgimento das cidades. A abordagem que tem dado melhores resultados no combate aos ratos, também aplicada a outras pragas urbanas, é a do manejo integrado. A ideia é utilizar técnicas diferentes de controle de maneira alinhada com a praga e com o ambiente e monitorar o nível de infestação, tomando ações para mantê-lo baixo. O monitoramento de ratos geralmente é feito posicionando-se porta-iscas com raticidas e/ou túneis com armadilhas de cola em locais estratégicos no ambiente monitorado e o controlador de pragas faz visitas periódicas para acompanhamento. Porém, mesmo que nenhum rato tenha entrado em contato com os porta-iscas ou túneis, o profissional tem que fazer a visita para se certificar, arcando com os custos do deslocamento desnecessário. Pode ser também que o rato tenha sido capturado e ficado exposto tempo demais até a visita acontecer, impedindo que mais ratos fossem capturados. Além disso, qualquer gerenciamento sobre o posicionamento dos porta-iscas e dos túneis ou sobre capturas deve ser feito manualmente, estando sujeito a imprecisões. O objetivo deste projeto é ajudar controladores de pragas a superarem essas dificuldades do monitoramento por meio de porta-iscas e túneis equipados com sensores inteligentes capazes de notificar a presença de ratos para uma central no ambiente monitorado. Na sequência, as centrais enviarão os dados para um servidor em nuvem e, por meio de uma interface web, os controladores de pragas poderão acompanhar em tempo real e de qualquer lugar o que está acontecendo nos ambientes monitorados e tomar as ações necessárias, só quando necessárias. Além de reduzir os custos de deslocamento, o tempo das visitas será otimizado e todo o gerenciamento do monitoramento será automático e preciso, trazendo melhorias para a prestação do serviço como um todo. (AU)