Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da densidade óssea e microarquitetura óssea em pacientes transplantados cardíacos

Processo: 14/21239-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fabiana Goulart Marcondes Braga
Beneficiário:Fabiana Goulart Marcondes Braga
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cardiologia  Transplante de coração  Metabolismo ósseo  Densidade óssea  Vitamina D  Biomarcadores  Osteoporose 

Resumo

O transplante cardíaco é reconhecido como o melhor tratamento para insuficiência cardíaca refratária. Com a melhora da sobrevida dos pacientes transplantados, observou-se aumento da incidência de complicações relacionadas ao procedimento, como a osteoporose e sua principal complicação, as fraturas por fragilidade. A proposta do presente estudo é avaliar a perda de massa óssea, as alterações na microarquitetura óssea e a incidência de fraturas vertebrais após o transplante cardíaco. Avaliaremos fatores preditores para perda de massa óssea e fraturas, no sentido de reconhecer os pacientes de risco que devem ser tratados de forma mais agressiva para osteoporose e assim evitar tratamentos desnecessários que podem ser acompanhados de eventos adversos. Serão incluídos pacientes adultos submetidos a transplante cardíaco no Instituto do Coração (HCFMUSP) no período de dezoito meses. Critérios de exclusão: idade menor do que 18 anos na data do transplante; transplante de múltiplos órgãos; retransplante. Programado inclusão de 40 pacientes.Metodologia: Estudo prospectivo observacional. Serão avaliados nos tempos 0 (entrada no estudo), 6 e 12 meses após o transplante os seguintes dados: 1) dados clínicos e demográficos; 2) avaliação nutricional; 3) avaliação metabólica (incluindo coleta de ar exalado apenas no tempo 0); 4) avaliação do nível habitual de atividade física; 5) avaliação laboratorial, incluindo marcadores de metabolismo ósseo: P1NP (propeptídeo amino-terminal do pro-colágeno tipo I), CTX (telopeptideo carboxi-terminal do colágeno tipo I), 25-hidroxivitamina D, paratormônio e esclerostina; 6) densidade mineral óssea (DXA); 7) avaliação de fratura vertebral pela DXA; 8) avaliação da microarquitetura óssea, realizada através do equipamento de Tomografia Computadorizada Quantitativa Periférica de Alta Resolução (HRpQCT) modelo XtremeCT (SCANCO Medical AG). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SEGURO, LUIS F. B. C.; PEREIRA, ROSA M. R.; SEGURO, LUCIANA P. C.; CAPARBO, VALERIA F.; AVILA, MONICA S.; MANGINI, SANDRIGO; CAMPOS, IASCARA W.; GAIOTTO, FABIO A.; MARCONDES-BRAGA, FABIANA G.; BACAL, FERNANDO. Bone Metabolism Impairment in Heart Transplant: Results From a Prospective Cohort Study. TRANSPLANTATION, v. 104, n. 4, p. 873-880, APR 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.