Busca avançada
Ano de início
Entree

Paratransgenesis: a promising new strategy for mosquito vector control

Processo: 15/13461-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Mauro Toledo Marrelli
Beneficiário:Mauro Toledo Marrelli
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Entomologia médica  Doenças negligenciadas  Controle de vetores  Mosquitos vetores  Mosquitos geneticamente modificados  Bactérias  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

Os três gêneros principais mosquito, Anopheles, Aedes e Culex, transmitem malária, dengue e Filariose Linfática, respectivamente. As estratégias atuais de controle do mosquito têm fracassado, e ainda há um número considerável de morbidade e mortalidade por estas doenças. Métodos de controle genético têm ultimamente surgido como alternativas promissoras, com base em duas abordagens: a substituição de uma população de vetor de doenças por mosquitos refratários e a liberação de mosquitos carregando um gene letal para suprimir as populações-alvo. No entanto, limitações e obstáculos substanciais devem ser ultrapassadas para esses métodos serem usados com sucesso, o mais significativo é que uma cepa de mosquito transgênico é necessária para cada espécie-alvo, tornando as estratégias de mosquito geneticamente modificados inviáveis quando existem vários mosquitos vetores na mesma área. Bactérias geneticamente modificadas capazes de colonizar uma ampla gama de espécies de mosquitos podem ser uma solução para este problema e uma outra opção para o controle destas doenças. Na abordagem paratransgênica, bactérias simbióticas são geneticamente modificadas e reintroduzidas em mosquitos, onde expressam moléculas efetoras. Para esta abordagem ser usado na prática, no entanto, uma melhor compreensão da microbiota do mosquito e quais bactérias simbióticas e moléculas efetoras identificadas são requeridas. Paratransgenesis pode ser muito útil em espécies de mosquitos que são inerentemente difíceis de transformar ou em complexos de espécies crípticas. Nesta abordagem, uma bactéria modificada genética pode agir por: (a) causando efeitos patogênicos no vetor; (b) interferindo na reprodução do vetor; (c) reduzir a competência do vetor; e (d) interferir com a ovogênese e embriogênese. É uma abordagem muito mais flexível e adaptável que o uso de mosquitos modificados genéticos já que as moléculas efetoras e bactérias simbióticas podem ser substituídas se não alcançarem o resultado desejado. Paratransgenesis, portanto, pode tornar-se uma ferramenta importante do manejo integrado para controle de mosquito. (AU)