Busca avançada
Ano de início
Entree

Contato e mudança linguística no Alto Rio Negro

Processo: 14/50764-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística
Convênio/Acordo: University of Texas - Austin
Pesquisador responsável:Luciana Raccanello Storto
Beneficiário:Luciana Raccanello Storto
Pesq. responsável no exterior: Patience Epps
Instituição no exterior: University of Texas at Austin (UT), Estados Unidos
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):17/12702-0 - Línguas indígenas: tradição, universais e diversidade, PUB.LVR.BR
Assunto(s):Línguas indígenas  Amazônia 

Resumo

A bacia Amazônica é uma das regiões mais diversas do mundo do ponto de vista lingüístico. No entanto, evidência de toda a região sugere que a manutenção desta diversidade ao longo do tempo ocorreu através de uma intensa interação entre falantes de línguas diferentes. O projeto explora esses processos de contato e mudança lingüística focando na região do Alto Rio Negro, com especial atenção à família lingüística Nadahup, composta de 4 línguas, que teve um contato intenso com seus vizinhos do Noroeste Amazônico. Investigaremos influências que línguas regionais tiveram nas línguas Nadahup ao longo do - tempo. No processo, também consideraremos as influências que os Nadahup e os seus vizinhos tiveram nas línguas coloniais - Nheengatú (também conhecida como Língua Geral Amazônica, uma língua Tupí-Guarani espalhada por missionários jesuitas) e a variedade regional do português. Nosso foco será nas relações entre processos específicos de mudança lingüística motivada por contato e os contextos culturais, sociais e históricos dos falantes. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.