Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo interdisciplinar e inter-hemisférico em larga escala para a conservação do tubarão mako no Oceano Atlântico

Processo: 14/19740-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2015 - 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Convênio/Acordo: Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
Pesquisador responsável:Fausto Foresti
Beneficiário:Fausto Foresti
Pesq. responsável no exterior: Rui Pedro Andrade Coelho
Instituição no exterior: Universidade do Algarve (UAlg), Portugal
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Diogo Teruo Hashimoto ; Fernando Fernandes Mendonça ; Luis Miguel Pinto Charneca Neves dos Santos
Assunto(s):Recursos pesqueiros  Tubarões  Evolução molecular  Sequenciamento de nova geração  Telemetria 

Resumo

Tubarões oceânicos estão entre os animais mais vulneráveis em todo o ambiente marinho e devido à crescente pressão pesqueira, diversas espécies têm apresentado declínios populacionais superiores a 80% nas últimas décadas. Contudo, o manejo e conservação deste grupo têm enfrentado desafios críticos tais como a falta de informações biológicas, parâmetros de história de vida, padrões migratórios, dinâmica e genética populacional, além da necessidade de gestão compartilhada internacionalmente. Dentre estes, o tubarão mako (Isurus oxyhinchus) é uma das espécies mais capturadas pela pesca industrial oceânica, alcançando altos valores no mercado internacional. Considerando sua importância econômica, o fundamental papel ecológico dos predadores de topo de cadeia nos oceanos, as lacunas de conhecimento a respeito desta espécie e as necessidades urgentes de implementação de programas de exploração sustentável, a presente proposta interdisciplinar tem como foco (i) a caracterização de parâmetros de ciclos de vida relacionados à idade, crescimento, biologia reprodutiva e mortalidade; (ii) o estudo genômico populacional e análises evolutivas utilizando tecnologias de sequenciamento de nova geração em toda a área de distribuição da espécie no Oceano Atlântico e; (iii) mapeamento da preferência de habitat e padrões de migração mensurados por telemetria via satélite. Tais informações serão divulgadas em artigos e eventos científicos e discutidas entre diferentes instâncias em conferências e fóruns das diversas áreas relacionadas ao tema, bem como em órgãos consultivos e de gestão internacional da pesca, fornecendo bases integradas para a exploração sustentável e conservação desta espécie, subsidiando avaliações globais complementares e servindo como modelo para estudos de outros tubarões oceânicos em todo o mundo. Ainda, o presente consórcio colaborativo deverá estimular entre as instituições do Brasil e Portugal, o desenvolvimento em novas fronteiras do conhecimento, nas áreas de interesse mutuo em ciência, tecnologia e inovação por meio da interação entre suas respectivas comunidades científicas. (AU)