Busca avançada
Ano de início
Entree

Simpósio Antropologia Médica: Visões sobre os sofrimentos: análise interdisciplinar das diversas concepções culturais sobre a saúde.

Processo: 15/08991-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 16 de junho de 2015 - 18 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Pereira Corbett
Beneficiário:Carlos Eduardo Pereira Corbett
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cultura indígena  Antropologia médica  Biomedicina 

Resumo

A Antropologia Medica é uma disciplina que foi reconhecida como sendo essencial para a Medicina ocidental a partir do momento em que as imigrações/migrações se tornaram mais intensas e com elas as doenças que eram endêmicas dos locais das pessoas que migravam aparecem no novo destino. E, ao mesmo tempo, esse trânsito caracterizou uma "troca" de doenças de dupla mão, trocando, também, um diálogo no qual as concepções de corpo, de saúde, de vida e de morte não são as mesmas. Portanto, como fazer com que nesse dialogo haja uma compreensão mutua do "evento" adoecer?Desde o começo do século passado Rivers e os antropólogos sabiam que a importância da compreensão do adoecer era essencial para entender as sociedades não ocidentais. No entanto, as ciências médicas só se depararam com esses problemas na medida em que esse "outro olhar", essa "outra concepção do mundo" se aproxima de seu campo de atuação por meio da "colonização da biomedicina" e, conjuntamente, os constantes trânsitos populacionais transnacionais. São inúmeros os problemas identificados nesse "encontro" entre um saber hegemônico e aqueles considerados "mágicos, populares, supersticiosos" que carregavam adjetivação negativa.Diante desse dialogo tenso e muitas vezes opaco é que surgem os principais problemas de adesão aos tratamentos considerados "científicos e biomédicos". O nosso principal interesse é apresentar que cada cultura tem as suas classificações de saúde, doença e do adoecer. Portanto, para as ações de saúde são necessárias discussões para integrar os vários conhecimentos sem preconceitos e valores predominantes por força das culturas envolvidas. Se a medicina biomédica desejar atuar na diversidade cultural que carrega o adoecer e, portanto ao sofrimento, necessariamente, deverá compreender essa diversidade para tentar estabelecer um diálogo que tende à simetria.Os coordenadores nacionais do simpósio são os responsáveis pela disciplina de Antropologia Médica, MPT - 5788, do elenco (AU)