Busca avançada
Ano de início
Entree

Mediadores do processo inflamatório

Processo: 95/00356-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de janeiro de 1996 - 30 de junho de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Sérgio Henrique Ferreira
Beneficiário:Sérgio Henrique Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):00/03425-2 - Leukotriene B4 and TNF-alpha mediate the neutrophil migration in allergic inflammation, AR.EXT
99/05331-6 - Terminal alpha-galactosyl glycans are recognized by MNCF, a neutrophil attractant lectin released by activated macrophages, AR.EXT
99/03444-8 - Secretion of TNF-alpha and IL-I by macrophages with exogenous RNA: is this effect mediated by RNA-dependent protein kinase?, AR.EXT
+ mais auxílios vinculados 99/00864-6 - Richard D. Cummings | University Oklahoma - Estados Unidos, AV.EXT
97/09304-8 - 1) GP 190 from Paracoccidioides Brasiliensis: a lectin with glucose-mannose affinity, AR.EXT
97/08585-3 - "neutrophil haptotaxis induced by the Lectin KM+", PUB.ART
96/07231-0 - Potentiates neutrophil migration induced by IL-8 in vivo, AR.EXT
96/00758-3 - Michael Anthony John Ferguson & Maria Lucia Guther | Depto Biochesmistry Medical Sciences Institute/University Dundee - Escócia, AV.EXT - menos auxílios vinculados
Bolsa(s) vinculada(s):98/16106-0 - Caracterização dos mediadores inflamatórios envolvidos na falência da migração de neutrófilos para o foco infeccioso no choque séptico, BP.PD
99/00731-6 - Estudo da especificidade fina do reconhecimento de carboidratos pela lectina de mamífero indutora da migração de neutrófilos (MNCF), BP.MS
98/15221-0 - Mediadores do processo inflamatório 2, BP.TT
+ mais bolsas vinculadas 98/06948-4 - Caracterização de células ativas na produção e secreção do MNCF. resposta celular a ativação por MNCF, BP.DR
98/04534-8 - Estudo eletrofisiológico e comportamental da sensibilização retrógrada dos neurônios nociceptivos primários, BP.PD
98/02825-5 - A lectina macrofágica MNCF: determinação de especificidade fina do reconhecimento de carboidratos, BP.AP
98/00986-1 - Papel antinociceptivo do antagonista de receptores de IL-1 (IL-1RA), BP.MS
97/01385-9 - Fatores que controlam: a migração de neutrófilos para o foco inflamatório, BP.TT
97/01384-2 - Estruturas teciduais envolvidas na haptotaxia de neutrófilos induzidas por KM+, BP.TT
96/05781-3 - Estudos caracterizando mecanismos envolvidos na gênese da incapacitação inflamatória utilizando uma nova metodologia para avaliação de dor articular em ratos, BP.IC
96/05780-7 - Estudo dos mecanismos envolvidos na migração de eosinófilos para a cavidade peritoneal de camundongos induzida por Sefadex, BP.IC - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Analgesia  Citocinas  Fatores quimiotáticos  Hiperalgesia  Óxido nítrico 

Resumo

No processo inflamatório, ao lado da dor manifesta, temos a presença de um estado de hiperalgesia que é definida como uma redução do limiar de resposta a estímulos que normalmente não são algogênicos. A hiperalgesia tem um componente prostaglandínico e um simpático. A relativa contribuição desses dois tipos de mediadores depende da natureza do estímulo traumático. Estes mediadores sensibilizam os nociceptores através de um mecanismo que envolve a ativação da adenilciclase com aumento dos níveis intracelulares de AMPC. Demostramos também que a liberação de prostaglandinas e a ativação do componente simpático pelos estímulos injuriantes é mediado por citocinas: IL-1 e IL-6 causam hiperalgesia por mecanismos dependentes de prostaglandinas, e IL-8 atua por mecanismo dependente do componente simpático. O TNF atuaria como pivô desencadeando a cascata de liberação de citocinas ou seja da liberação de IL-1/IL-6 e de IL-8. Neste contexto, nossos estudos no momento têm como objetivos: a) investigar o possível papel de outras citocinas na gênese da hiperalgesia, tais como GRO, RANTES, NGF e também de citocinas inibitórias como IL-4, IL-10, IL-13 e também do IL-LRA; b) investigar a mediação espinal da dor inflamatória, especificamente os mecanismos envolvidos na liberação de glutamato, bem como a ação retrógrada do glutamato liberado a nível espinal, nos neurônios de primeira ordem; c) investigar o papel do NO e de fatores de transcrição (C-FOS, CREB e NF-KB) na hiperalgesia; d) determinar o mecanismo de ação de analgésicos periféricos, inclusive de derivados opióides, procurando determinar a participação do NO no processo. O outro componente da resposta inflamatória que estamos investigando é os mecanismos envolvidos na migração e a ativação dos leucócitos na vigência de inflamação ou de septicemia. Demonstramos que macrófagos residentes da cavidade peritoneal de ratos estimulados com LPS liberam um fator, denominado FQN, que induz migração específica de neutrófilos quando administrado no espaço extravascular e inibe a migração se administrado endovenosamente. O FQN possui PM 54 KD, PI<4.0, e é uma lectina com afinidade por d-galactose. Pretendemos determinar a seqüência de aminoacídos do FQN, realizar sua clonagem e expressão em vector apropriado. Pretende-se produzir anticorpos contra sua estrutura a fim de investigar seu papel em fenômenos fisiopatológicos. Estamos também investigando o papel das células residentes (macrófagos, mastócitos e linfócitos) no controle da migração de neutrófilos e eosinófilos induzida por diferentes estímulos inflamatórios. (AU)