Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da variabilidade química de própolis brasileira por espectrometria de massas e identificação de compostos com atividade antioxidante e antimicrobiana

Processo: 15/06215-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Alexandra Christine Helena Frankland Sawaya
Beneficiário:Alexandra Christine Helena Frankland Sawaya
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Ademilson Espencer Egea Soares
Auxílios(s) vinculado(s):17/50035-6 - Study of the chemical variability of Brazilian propolis by mass spectrometry with isolation of bioactive compounds by counter current chromatography, AP.R
Assunto(s):Espectrometria de massas  Anti-infecciosos  Antioxidantes  Própolis  Cromatografia líquida 

Resumo

A própolis é uma resina usada pelas abelhas para a proteção da colmeia, apresenta composição química complexa, dependente da ecologia botânica de cada região. É utilizada pela humanidade desde a antiguidade devida principalmente às suas propriedades antissépticas e cicatrizantes. Devido à grande diversidade de abelhas nativas encontradas no Brasil, e a variabilidade botânica e geográfica, encontramos propolis com composição e atividade terapêutica variada. Das espécies de abelhas nativas uma das mais encontradas é jataí (Tetragonisca angustula) que produz própolis de composição parecida em todo o território nacional. Ainda há poucos estudos sobre a composição química, atividade antimicrobiana e antioxidante de própolis desta espécie. Dentre os tipos de propolis produzidos por pela espécie de abelha introduzida, Apis mellifera, salientamos a própolis vermelha do nordeste que apresenta forte atividade antioxidante e antimicrobiana. O objetivo deste projeto é estudar da composição química, atividade antioxidante e antimicrobiana de própolis produzidas pela jataí e A. mellifera. A composição química será inicialmente avaliada por espectrometria de massas com inserção direta (fingerprinting) e a seguir com cromatografia líquida de ultra-alta eficiência (UHPLC-MS). A atividade antioxidante será avaliada por dois métodos distintos, DPPH e ORAC, e a atividade antimicrobiana será avaliada contra bactérias Gram positivas e negativas e espécies de Candida. Própolis de outras espécies de abelhas nativas identificadas também poderão ser avaliadas. Os tipos de própolis que apresentarem atividade promissora serão submetidos a fracionamento por cromatografia preparativa e a atividade das frações e compostos isolados reavaliados. Finalmente, os compostos ativos isolados serão analisados por RMN, IV e MS para determinar sua estrutura. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARNEIRO, M. J.; LOPEZ, B. G-C; LANCELLOTTI, M.; FRANCHI, G. C.; NOWILL, ALEXANDRE E.; SAWAYA, A. C. H. F. Evaluation of the chemical composition and biological activity of extracts of Tetragonisca angustula propolis and Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae). JOURNAL OF APICULTURAL RESEARCH, v. 55, n. 4, p. 315-323, 2016. Citações Web of Science: 0.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.