Busca avançada
Ano de início
Entree

Plasticidade fenotípica de macacos-prego (gênero Sapajus): investigação sobre o efeito de trajetórias ontogenéticas distintas e de ativação contexto-dependente

Processo: 14/13237-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Comportamento Animal
Pesquisador responsável:Patrícia Izar
Beneficiário:Patrícia Izar
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados: Barth Wright ; Briseida Dôgo de Resende ; Cibele Biondo ; Cristina Yumi Miyaki ; Dorothy Fragaszy ; Elisabetta Visalberghi ; Gabriel Ramos-Fernandez ; Jessica Lynch Alfaro ; Jose de Oliveira Siqueira ; Kristin Wright ; Laurie Reitsema ; Luciene Maura Mascarini Serra ; Michael Alfaro ; Mônica Mafra Valença Montenegro ; Renata Gonçalves Ferreira ; Rupert Palme
Bolsa(s) vinculada(s):19/00457-7 - Bolsa de treinamento técnico II (TT-2) em comportamento animal, BP.TT
17/12735-6 - Desenvolvimento inicial da personalidade de macaco-prego (Sapajus libidinosus), BP.IC
Assunto(s):Comportamento materno  Organização social  Endocrinologia  Primatas 

Resumo

A literatura em comportamento animal evidencia interesse crescente na ideia de plasticidade fenotípica como fator crucial na evolução. Dentre os primatas não humanos, o gênero Neotropical Sapajus constitui modelo ideal para investigar hipóteses sobre plasticidade comportamental como adaptação a diversidade de contextos ambientais. Assim, o objetivo deste projeto é investigar fatores subjacentes à variabilidade comportamental observada entre populações de Sapajus. Buscaremos responder se essa plasticidade resulta de flexibilidade reversível contingente a mudanças ambientais (plasticidade ativacional) ou de trajetórias ontogenéticas distintas desde o desenvolvimento inicial das diferentes populações (plasticidade ontogenética), por meio da relação entre variância intra e entre populações ao longo de diferentes fases do desenvolvimento. Também investigaremos, por meio de uma análise genômica e de análises de covariação fenotípica e genética por modelos mistos, a hipótese nula de que a variabilidade é resultado de variação genética. Para tanto, serão comparados, por meio de filmagens semanais de um dia inteiro, indivíduos de quatro populações selvagens de espécies irmãs (S. nigritus, S. libidinosus, S. xanthosternos e S. flavius), do nascimento até os 36 meses de idade, bem como variáveis ecológicas e características dos sistemas sociais, e genótipo, comportamento e perfil hormonal de todos os indivíduos dos grupos estudados. Este projeto é multicêntrico, envolvendo pesquisadores brasileiros da USP (IP e IB), UNESP Botucatu, UFABC e UFRN, norte-americanos, das Universidades da Califórnia, Los Angeles, da Georgia, Athens, e de Medicina e Biociências de Kansas, europeus, do Instituto de Ciência e Cognição de Roma, Itália e da Universidade de Veterinária de Viena, Áustria, e um pesquisador do Instituto Politécnico Nacional do México. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Treinamento técnico em comportamento animal com bolsa da FAPESP 
Treinamento técnico em comportamento animal com bolsa da FAPESP 
Treinamento técnico em comportamento animal com bolsa da FAPESP 
Oportunidade de Treinamento Técnico em Comportamento Animal 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.