Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência dos catalisadores químicos na eficiência clareadora do peróxido de hidrogênio

Processo: 15/17107-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Carlos Rocha Gomes Torres
Beneficiário:Carlos Rocha Gomes Torres
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/04636-5 - Influência dos catalisadores químicos na eficiência clareadora do peróxido de hidrogênio, BP.TT
Assunto(s):Dentística  Estética dentária  Clareamento de dente  Peróxido de hidrogênio  Cor  Catalisadores 

Resumo

O objetivo desse estudo será avaliar o efeito de vários tipos e concentrações de catalisadores químicos, em diferentes pHs, na eficiência clareadora do peróxido de hidrogênio. Além disso, verificar se a catálise permite a utilização de concentrações reduzidas de peróxido sem prejuízo da eficiência. Para tal, dentro de um reator com temperatura controlada serão misturados uma associação de cromógenos (vinho tinto, tabaco e café), peróxido de hidrogênio em quantidade suficiente para que se obtenha uma concentração final de 35%, substâncias para ajuste de pH (HCl ou NaOH) e concentrações variadas de diferentes catalisadores químicos. Serão testados catalisadores a base de íons ferro (13 complexos, 1 nitrato, 1 sulfato e 2 cloretos) e manganês (5 complexos, 1 nitrato, 1 sulfato e 1 cloreto), cada um em 10 diferentes concentrações. O pH inicial das misturas para cada concentração deverá ser ajustado para 5,5, 7 e 9. Grupos controle sem qualquer catalisador, nos três pHs testados também serão avaliados. Uma amostra será preparada para cada catalisador em cada concentração e pH, sendo mantidas a 30oC durante todo o processo. Após a mistura, a cor inicial das soluções, seu pH e a concentração de peróxido serão avaliados empregando, respectivamente, espectrofotômetro colorimétrico (CM-5, Konica Minolta), pHmetro e titulador automático. Com o progresso da reação, leituras sequenciais serão realizadas após cada cinco minutos, durante 30 minutos. O grupo controle com o pH mais eficaz em promover o clareamento da solução será determinado (Controle Positivo 35%). A seguir, as quatro combinações dos parâmetros tipo de catalisador/concentração do catalisador/pH, que promoverem um efeito clareador mais intenso que o Grupo Controle Positivo 35% serão testadas quanto a possibilidade de redução da concentração de peróxido, mantendo-se a eficácia clareadora. Caso alguma solução catalisada, com concentração reduzida de peróxido, proporcione um clareamento igual ou mais intenso do que o Controle Positivo 35%, ela será incluída na ultima fase do estudo, assim como um controle não catalisado com a concentração reduzida selecionada (Controle Positivo Reduzido). Nessa etapa, 220 amostras de esmalte/dentina serão obtidas de dentes bovinos e distribuídas em 11 grupos (n=20), de acordo com a solução clareadora a ser empregada: Controle Positivo a 35%, Controle Positivo Reduzido, 4 soluções catalisadas com peróxido de hidrogênio a 35%, 4 soluções catalisadas com concentração reduzida de peróxido de hidrogênio e um grupo Controle Negativo que não receberá clareamento. A cor e a microdureza das amostras será avaliada antes e após o tratamento. Os dados de mudança na percepção de cor (Delta E) e o percentual de alteração da microdureza serão analisados estatisticamente. (AU)