Busca avançada
Ano de início
Entree

Proteção internacional das tecnologias acadêmicas da UNESP: mecanismo de valorização dos conhecimentos gerados no ambiente universitário

Processo: 14/50686-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa de Apoio à Propriedade Intelectual (PAPI/Nuplitec)
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia Industrial
Pesquisador responsável:Vanderlan da Silva Bolzani
Beneficiário:Vanderlan da Silva Bolzani
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Propriedade intelectual  Inovação  Inovações tecnológicas  Administração de inovações tecnológicas  Patentes 

Resumo

A missão da agência UNESP de inovação que é o núcleo de inovação tecnológica da universidade geri a política de proteção e inovação das criações intelectuais de titularidade da UNESP. Para cumpri-la, atua basicamente em duas atividades-fim: na proteção da propriedade intelectual e na transferência do conhecimento, devidamente apropriado. Após 5 anos de existência, as políticas e procedimentos para a proteção da propriedade intelectual em nível nacional encontram-se bem estabelecidos. Houve a internalização institucional da importância do investimento na proteção do conhecimento; tanto que hoje a UNESP financia uma equipe permanente para a atuar junto ao NIT, o qual é dotado de orçamento específico que permite que todas as etapas da proteção em nível nacional, desde a prospecção de tecnologias, passando pelo depósito de novos pedidos de patente e manutenção dos já existentes, seja realizada. Não obstante, faz-se necessária a ampliação da proteção ora realizada, agora em nível internacional, visando valorizar as tecnologias, tornando-as mais atrativas para serem licenciadas tanto por empresas nacionais quanto empresas estrangeiras. Com a globalização, a transferência de tecnologia não se restringe ao território nacional sendo que empresas de outros países se interessam por licenciar a propriedade intelectual aqui desenvolvida. Além disso, com a necessidade de internacionalização das universidades, a UNESP vem estabelecendo parcerias internacionais de pesquisa, o que tem resultado em depósitos de pedidos de patente em cotitularidade com instituições estrangeiras, estando, portanto, cumprindo as metas de intercionalização da ciência do Estado e do País. Nesses termos, o objetivo deste projeto é a ampliação do portfólio internacional de ativos de propriedade intelectual da UNESP, particularmente por meio de tecnologias advindas de pesquisas científicas desenvolvidas com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP. As tecnologias apropriáveis por algum regime de proteção intelectual serão avaliadas em função de seu estágio de desenvolvimento e potencial econômico, de acordo com metodologia existente na Agência UNESP de Inovação, sendo que as mais promissoras serão internacionalizadas, utilizando-se dos mecanismos do sistema internacional de propriedade intelectual, visando ampliar seu valor e sua potencialidade de comercialização. Espera com esse projeto contribuir para a projeção internacional da UNESP como uma universidade de pesquisa, capaz de desenvolver tecnologias de interesse global e com vocação para inserir-se no contexto mundial dos processos de inovação. Neste processo a FAPESP vem dando uma enorme contribuição, e a segunda edição do PAPI/Nuplitec certamente colocará mais um diferencial nas instituições universitárias de São Paulo. (AU)