Busca avançada
Ano de início
Entree

Dez mitos sobre os judeus

Processo: 15/20170-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no exterior
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Moderna e Contemporânea
Pesquisador responsável:Maria Luiza Tucci Carneiro
Beneficiário:Maria Luiza Tucci Carneiro
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Antissemitismo  Judeus  Artes  Literatura  Cultura política  Mitos  Nazismo  Publicações de divulgação científica  Livros 

Resumo

Dez Mitos sobre os Judeus convida o leitor a viajar ao imaginário coletivo e refletir sobre a realidade do racismo. O livro foi organizado como um breviário e, embora os textos sigam uma sequência, tal como ocorre com os mitos, cada um tem sua própria vida, profundamente enraizada e fortalecida por um substrato construído de geração em geração. Como detentores de uma aparente verdade, esses mitos, alimentados pela cultura popular e erudita, na verdade, enganam. O livro visa expôr dez grandes mentiras com as quais convivemos, embora não estejamos cientes de suas origens e propósitos. Sua autora tem como foco os mitos políticos sobre os judeus e como eles se espalham, circulam e impactam a sociedade contemporânea, especialmente aqueles que persistem e instigam o ódio contra os judeus. O mito político não é simplesmente um fenômeno social ou uma ideia: é a representação de fenômenos, pessoas ou ideias específicos, gerando um conjunto de mentiras tomadas como verdade. O mito é delineado para fazer acreditar; é construído para enganar. Mente e consegue sobreviver pela repetição e o constante redesenho de sua narrativa, sempre sedutora, exagerada nos detalhes.Fundamentado na obra de Raoul Girardet Mitos e Mitologias Políticas, o livro demonstra que o contorno dos mitos contra os judeus são imprecisos, "imbricam-se, interpenetram-se e perdem-se muitas vezes um no outro", como se estivessem ligados por uma rede sutil e poderosa de liames de complementaridade que "não cessa de manter entre eles passagens, transições e interferências". Através de dez narrativas selecionadas, a autora analisa as diferentes versões que comandam o antisemitismo secular e sempre atual, e que no seu conjunto, dão corpo e substância ao mito. Constituem um pseudossaber construído de modo a legitimar o relato daqueles que, por interesse, insistem na ideia de que os judeus são uma "raça" ou um grupo indesejável; essas são marcas que contribuem para uma imagem deformada do povo judeu, delineada através de imagens antiestéticas, diabólicas, aterrorizantes e antissociais. Ao estudar sua dinâmica, o livro mostra sua gênese, transformação e proliferação assim como as graves consequências para a humanidade, tal como aconteceu durante a Era Nazista. Este livro resulta de várias pesquisas realizadas pela autora, que desde sua dissertação de Mestrado até suas teses de Doutorado e Livre Docência, tem trabalhado na identificação e análise das diferentes narrativas sobre o antissemitismo e sua persistência. (AU)