Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos gênero-dependentes da restrição do crescimento intrauterino sobre o tecido adiposo de ratos adultos: uma abordagem proteômica

Processo: 15/24885-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2016 - 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Desnutrição e Desenvolvimento Fisiológico
Pesquisador responsável:Eliane Beraldi Ribeiro
Beneficiário:Eliane Beraldi Ribeiro
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Tecido adiposo  Desenvolvimento fetal  Proteômica  Obesidade  Metabolismo 

Resumo

Restrição do crescimento intrauterino (IUGR) pode programar alterações metabólicas que afetam funções fisiológicas e levar a doenças na vida adulta. O tecido adiposo é um importante órgão que influencia a homeostase energética. O presente estudo teve o objetivo de explorar as consequências da IUGR no tecido adiposo de ratos machos e fêmeas adultos, usando uma abordagem proteômica. Métodos e Resultados: ratas Wistar prenhes receberam ração balanceada ad libitum (grupo controle) ou 50 da ingestão controle (grupo restrito) durante toda a gestação. Os filhotes receberam ração ad libitum após o desmame e foram estudados aos 4 meses de idade. A gordura retroperitoneal foi analisada por eletroforese bidimensional e espectrometria de massas.Machos e fêmeas restritos tiveram baixo peso ao nascimento e ao desmame mas peso normal aos 4 meses. Os machos restritos tiveram peso normal do depósito retroperitoneal, glicemia normal, com tendência a hiperinsulinemia. As fêmeas restritas tiveram aumento do depósito adiposo e níveis normais de glicose e insulina.Os machos restritos mostraram níveis elevados de proteasoma subunidade ± tipo 3, aminotransferase de aas ramificados, elongation 1- alpha 1, AG sintetase, malato desidrogenase citosólica e ATP sintetase subunidade alfa. Estas alterações indicam aumento das taxas de proteólise e lipogênese e favorecimento da produção de ATP. As fêmeas restritas tiveram níveis reduzidos de L-lactato desidrogenase, perilipina-1 mitocondrial, desidrogenase E1 de alfa-ceto-ácidos ramificados e transcetolase. Estes achados sugerem prejuízo do controle glicêmico, estimulação da lipólise e inibição da proteólise bem como inibição da via das pentoses e da lipogênese. Nos dois gêneros, várias proteínas envolvidas no estresse oxidativo e inflamação foram afetadas, em padrão compatível com prejuízo destas respostas.Conclusões: A análise proteômica do tecido adiposo demonstrou que, embora a IUGR tenha afetado vias do metabolismo de substrato e energia em ambos os gêneros, importantes diferenças entre os gêneros ocorreram. Enquanto os machos mostraram alterações indicativas de predisposição ao desenvolvimento de obesidade, as fêmeas tiveram alterações indicativas de obesidade estabelecida, concordando com sua maior massa adiposa. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.