Busca avançada
Ano de início
Entree

Discrepâncias transculturais no entendimento do conceito de estresse: evidências para construção de programas psicoeducativos para o manejo do estresse

Resumo

Os efeitos negativos do estresse representam uma das principais ameaças à saúde e ao bem-estar econômico das pessoas independentemente da idade e da cultura. Entretanto, o termo "stress" tem sido globalmente empregado desvinculado de seu real significado científico. As discrepâncias entre o conhecimento do publico em geral e da comunidade científica sobre o estresse é um ponto de preocupação e pouco se sabe sobre isso. Isto é relevante uma vez que conceitos equivocados sobre o estresse podem influenciar os efeitos dos programas de intervenção psicoeducativos e o desenvolvimento das melhoras práticas de intervenção. O estudo teve por objetivo analisar o conhecimento de estresse na população geral do Canadá e Brasil e determinar a extensão na qual a visão científica e popular do estresse diferem nestes países. Foram avaliados 1156 indivíduos saudáveis entre 18 e 88 anos de idade provenientes do Canadá (n = 502) e do Brasil (n = 654). O conhecimento de estresse foi avaliado por um questionário composto por questões relacionadas a conceitos científicos e populares de estresse ("estresse é ruim" versus "uma vida livre de estresse é boa") e dos fatores capazes de desencadear uma reação de estresse ("novidade", "imprevisibilidade", "pouco senso de controle" e "avaliação social" versus "pressão do tempo", "sobrecarga de trabalho", "conflitos", "desequilíbrio", "ter crianças"). Tanto os participantes canadenses como os brasileiros apresentaram conceitos equivocados de estresse e dos fatores capazes de desencadeá-lo. Entretanto, a taxa de equívocos foi maior no Brasil em relação ao Canadá (p < 0.05). Os achados sugerem uma lacuna de conhecimento da população geral sobre o conceito científico de estresse e este conhecimento varia em função do país de origem e das questões socioeconômicas e culturais. Programas psicoeducativos bem como a vulnerabilidade aos transtornos relacionados ao estresse são discutidos. (AU)