Busca avançada
Ano de início
Entree

Alternativas para ampliação da renda da cafeicultura no estado de São Paulo: consórcio de cafeeiro arábica (Coffea arabica L.) e nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche)

Processo: 15/16790-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Marcos José Perdoná
Beneficiário:Marcos José Perdoná
Instituição-sede: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Antonio José Porto ; Rogério Peres Soratto
Assunto(s):Cafeicultura  Produtividade  Arborização  Consórcio 

Resumo

Anualmente, aproximadamente 7.000 hectares de cafeeiro são erradicados no Estado de São Paulo. O consórcio do café (Coffea arabica L.) com nogueira-macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betche) tem se mostrado benéfico à cultura, como redução na incidência de ventos e na temperatura máxima do ar. Esse sistema produtivo permite ao agricultor uma renda adicional proveniente da segunda cultura, o que o torna favorável. Assim, áreas ocupadas por cafezais com prognóstico de erradicação podem oferecer oportunidade de instalação de cultivos consorciados, provisórios ou permanentes, ampliando a renda dos produtores no Estado. Entretanto, não existem estudos de como se pode promover essa implantação do consórcio em lavouras de café pré-existentes. Quando plantados ao mesmo tempo, considerando o uso de colheitas manuais, o consórcio de café com a nogueira-macadâmia se mostrou economicamente mais eficiente que os cultivos solteiros, nos anos iniciais, oferecendo uma alternativa de ampliação de renda, principalmente aos pequenos cafeicultores. Contudo, nos últimos anos, até mesmo os pequenos produtores necessitaram mecanizar suas colheitas. Nesse aspecto, abriu-se uma lacuna sobre estudos da viabilidade do consórcio de café com a nogueira-macadâmia em sistemas totalmente mecanizados. Para elucidar as questões abordadas, instalaram-se dois experimentos. O experimento I foi instalado em julho de 2015, no município de Dois Córregos-SP, em uma área com cultivos de café solteiro e consorciado com nogueira-macadâmia, de 9 anos de idade. O experimento é conduzido totalmente em condição irrigada, é composto por seis tratamentos, mais testemunha, ou seja, café consorciado com seis variedades de nogueira-macadâmia (IAC 9-20, IAC 4-12B, IAC 4-20, HAES 660, HAES 816, e HAES 344) e café solteiro, instalado em delineamento inteiramente casualizados, com cinco repetições. Esse tem o objetivo de avaliar se o sistema consorciado, em fase adulta, oferece vantagens econômicas sobre o cultivo solteiro, nas condições de colheita mecanizada. E também, avaliar qual dentre as variedades de nogueira-macadâmia tem características mais desejáveis ao consórcio em cultivo totalmente mecanizado, em idade "adulta". O experimento II foi instalado em outubro de 2014 no município de Gália-SP, com o objetivo de estudar formas de substituição de lavouras de cafeeiros ineficientes por cultivos consorciados com nogueira-macadâmia. Nesse, o delineamento foi o de blocos casualizado, com 4 repetições e 6 tratamentos: 1 - eliminação de um cafeeiro e plantio da nogueira-macadâmia em sua cova; 2 - plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros recepados, a 40 cm; 3 - plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros esqueletados, a 30 cm; 4 - plantio da nogueira-macadâmia entre dois cafeeiros que não sofrerão interferência; 5 - nogueira-macadâmia solteira, plantada em área de café erradicado e 6 - café solteiro. Em ambos os experimentos serão avaliados: altura da planta, diâmetro da copa e diâmetro do tronco das plantas de macadâmia, número de nozes por planta, produção de nozes por planta e produção de amêndoas por área nas nogueira-macadâmia e altura, diâmetro do tronco e produtividade dos cafeeiros. Os dados serão analisados com o auxílio do programa estatístico SAS (2003) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Em ambos os experimentos, todos os valores de entrada e saída de recursos serão registrados e, considerando-se os custos de produção e receitas brutas obtidas, far-se-á um comparativo entre as receitas líquidas, apurando-se o tratamento de maior viabilidade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Consórcio com a macadâmia protege o café e aumenta sua produtividade