Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de genes preditores de radiossensibilidade e sobrevida em pacientes com glioblastoma tratados com radioterapia e temozolamida

Processo: 15/20973-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fernanda Maris Peria
Beneficiário:Fernanda Maris Peria
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados: Antonio Carlos Cavalcante Godoy ; Carlos Gilberto Carlotti Jr ; Daniel Antunes Moreno ; Daniela Pretti da Cunha Tirapelli
Assunto(s):Oncologia  Radiossensibilidade  Temozolamida  Expressão gênica  Radioterapia 

Resumo

INTRODUÇÃO: O glioblastoma multiforme (GBM) é o tumor primário do sistema nervoso central mais frequente no adulto, com sobrevida média de aproximadamente 12 meses. Múltiplas alterações genéticas e epigenéticas presentes neste tumor determinam sua biologia e fenótipo bastante agressivos. O tratamento padrão do GBM é uma abordagem multidisciplinar, envolvendo neurocirurgia, radioterapia (RT) e quimioterapia (QT). As melhores taxas de resposta e sobrevida dos pacientes com diagnóstico de GBM têm sido associadas ao tratamento combinado de cirurgia (com máxima ressecção possível), seguida de RT associada à Temozolamida (TMZ) em caráter radiossensibilizante seguido de TMZ adjuvante.Diversos estudos têm avaliado assinaturas de expressão gênica capazes de predizer o comportamento clínico e biológico de diversas neoplasias. Em estudos experimentais envolvendo culturas de células de linhagens através de análises gênicas em larga escala, foi possível identificar 10 genes (AR, cJun, STAT1, PKC, RelA, c-Abl, SUMO1, CDK1, HDAC1 e IRF1) associados a radiossensibilidade, criando um coeficiente denominado Índice de Radiossensibilidade (RSI). Este coeficiente foi validado para tumores de reto, esôfago, tumores de cabeça e pescoço e mama tratados com radioterapia associados ou não a quimioterapia, entretanto, estudos semelhantes ainda não foram realizados considerando amostras de glioblastoma multiforme primário.OBJETIVOS: O objetivo deste trabalho é estudar a expressão dos genes envolvidos no RSI e do gene MGMT em amostras de tumor primário humano de GBM, buscando identificar a associação destes com radiossensibilidade e sobrevida.PACIENTES E MÉTODOS: As análises da expressão relativa dos genes AR, cJun, STAT1, PKC, RelA, c-Abl, SUMO1, CDK1, HDAC1, IRF1 e MGMT serão realizadas utilizando-se a técnica de PCR em tempo real. Serão coletadas informações contidas no prontuário médico do paciente relacionadas às características clínicas, epidemiológicas, sócio demográficas e de evolução clínica e radiológica (toxidades, pseudoprogressão tumoral e resposta tumoral) e desfecho clínico (sobrevida global, sobrevida livre de progressão e taxas de sobrevida em 6 meses e 12 meses após o diagnóstico). Considerando-se um nível de significância de 5% e o poder do teste de 80%, serão analisados 90 pacientes, a serem divididos, após análise de sobrevida, em radiossensíveis e radiorresistentes. Serão comparados nestes dois grupos a expressão diferencial do RSI / MGMT. A associação das variáveis qualitativas categóricas e expressão gênica será feita pelo teste de Mann-Whitney. A análise de sobrevida será realizada pelo método não-paramétrico de Kaplan-Meier. O efeito da interação entre a marcação do RSI / MGMT com as variáveis de interesse será avaliado através do modelo de regressão logística. (AU)