Busca avançada
Ano de início
Entree

Formação e transferência de imunidade passiva em ovelhas Santa Inês: efeito da alimentação e do número de lactações

Processo: 15/17238-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Raul Machado Neto
Beneficiário:Raul Machado Neto
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Carolina Rodriguez Jimenez ; Débora Botéquio Moretti ; Helder Louvandini ; Severino Matias de Alencar
Assunto(s):Imunoglobulina G  Caroço de algodão  Ovinos  Fisiologia animal  Antioxidantes  Imunização passiva 

Resumo

O fornecimento de colostro com adequada qualidade imunológica para os animais recém-nascidos é imprescindível para garantir a higidez, diminuindo os índices de mortalidade e morbidade no rebanho, garantindo, desta forma, maior eficiência produtiva. Entretanto, a formação do colostro pode ser influenciada por algumas condições associadas à mãe. O colostro de primeira ordenha e a alimentação com fatores antinutricionais, como o gossipol presente no caroço de algodão, por exemplo, podem interferir no potencial de proteção e na condição antioxidante das secreções lácteas. Assim, este projeto tem como objetivo avaliar a formação e transferência de imunidade passiva em ovelhas Santa Inês primíparas e multíparas alimentadas com caroço de algodão, bem como o potencial antioxidante no sangue e secreções lácteas. Ovelhas Santa Inês serão separadas em dois grupos: 16 primíparas e 16 multíparas e, posteriormente, distribuídas aleatoriamente em dois tratamentos: CO - concentrado sem caroço de algodão; CA - concentrado com caroço de algodão. As dietas serão fornecidas às 15 horas e o feno de manhã e à tarde, promovendo sobras de 10% do volumoso. O período experimental será dividido em adaptação (15 dias), pré-estação de monta (1 mês), estação de monta (2 meses), gestação (5 meses) e lactação/desmame (2 meses). Amostras de sangue serão coletadas da veia jugular das ovelhas e dos cordeiros uma vez ao mês durante o período experimental, sendo realizadas coletas adicionais nas ovelhas e nos cordeiros durante o periparto e pós-parto, respectivamente. Amostras de colostro serão coletadas imediatamente no parto, bem como amostras das secreções lácteas subsequentes até 15 dias após o parto. O potencial imune no sangue das ovelhas e cordeiros será analisado pela concentração de imunoglobulinas e proteínas séricas, entre elas lisozima, transferrina e proteína C reativa, enquanto que o potencial antioxidante pela atividade das enzimas superóxido dismutase, glutationa peroxidase e catalase e pela capacidade de absorção de radicais oxigenados (ORAC). Adicionalmente à concentração de imunoglobulinas, proteína total, atividade de enzimas antioxidantes e valor ORAC, será determinada nas secreções lácteas das ovelhas a concentração da lactoperoxidase, lactoferrina e vitamina C. As variáveis serão analisadas como medidas repetidas no tempo, sendo os efeitos número de lactações (primípara ou multípara) e regime de alimentação (com e sem caroço de algodão) aplicados às parcelas e as medidas repetidas no tempo às subparcelas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORETTI, DEBORA B.; JIMENEZ, CAROLINA R.; TRINCA, HELOISA M.; MACHADO-NETO, RAUL; LOUVANDINI, HELDER. Cottonseed feeding changes oxidative stress markers in ewes during the peripartum period and increases the quality of colostrum. VETERINARY JOURNAL, v. 247, p. 32-37, MAY 2019. Citações Web of Science: 0.
MORETTI, DEBORA B.; JIMENEZ, CAROLINA R.; TRINCA, HELOISA M.; MACHADO-NETO, RAUL; LOUVANDINI, HELDER. Effect of maternal cottonseed feed on the immune and antioxidant status of Santa Ines lambs. COMPARATIVE IMMUNOLOGY MICROBIOLOGY AND INFECTIOUS DISEASES, v. 62, p. 58-63, FEB 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.