Busca avançada
Ano de início
Entree

Resistência antimicrobiana de Staphylococcus spp. isolados de mastite clínica e subclínica bovina: análise fenotípica, expressão gênica e relação com presença de genes codificadores de adesinas e biofilme

Processo: 15/14209-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Priscilla Anne Melville
Beneficiário:Priscilla Anne Melville
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Aline Santana da Hora ; Eveline Zuniga ; Fernanda Fidelis Gonsales ; Nilson Roberti Benites ; Paulo Eduardo Brandão
Assunto(s):Mastite bovina  Staphylococcus  Farmacorresistência bacteriana  Adesinas bacterianas  Expressão gênica 

Resumo

A mastite representa um importante desafio na pecuária leiteira, visto que é uma das afecções que mais acometem o rebanho bovino e que ocasiona grande impacto econômico. As bactérias são importantes agentes associados à enfermidade, sendo que as mais comumente encontradas são as do gênero Staphylococcus, associadas tanto às manifestações clínicas quanto subclínicas. A terapia antimicrobiana é usualmente requerida como tratamento, auxiliando as defesas do animal para a eliminação do agente invasor, assim sendo, é de suma importância monitorar a suscetibilidade dos patógenos aos antimicrobianos. Visto que a resistência aos medicamentos utilizados tem se tornado frequente, há a necessidade de estudos mais abrangentes sobre o assunto, principalmente no que diz respeito a rebanhos produtores de leite, devido à possibilidade de transferência de patógenos multirresistentes entre os animais bem como aos humanos, fenômeno este também importante sob o ponto de vista econômico. Desta forma, o presente estudo tem como objetivos: avaliar a resistência de Staphylococcus spp. isolados de mastites clínicas e subclínicas bovinas aos antimicrobianos mais comumente utilizados na prática clínica (betalactâmicos e gentamicina), relacionando características de fenótipo (testes de suscetibilidade in vitro aos antimicrobianos) e genótipo (detecção e expressão de genes que codificam para resistência) e correlacionar estes dados com outras características de virulência dos micro-organismos, particularmente relativas à presença de genes codificadores de adesinas e biofilmes. Serão avaliados 300 isolados de Staphylococcus provenientes de amostras de leite oriundas de bovinos de propriedades de exploração leiteira. Os isolados serão caracterizados fenotípica e genotipicamente, submetidos à avaliação quanto à suscetibilidade bacteriana in vitro a antibióticos betalactâmicos e gentamicina, bem como será avaliada a concentração inibitória mínima para oxacilina, penicilina, ampicilina, amoxicilina, cefalotina, gentamicina em linhagens de SCP e SCN resistentes a estes antimicrobianos. Será realizada ainda a pesquisa através da PCR, quanto à presença de genes codificadores de adesinas (cna, eno, ebpS, fib, fnbA, fnbB) e biofilmes (icaA, icaB, icaC,icaD, bap, bhp), bem como a detecção da ocorrência e avaliação da expressão de genes associados à resistência aos antimicrobianos - mecA, mecC, blaZ, femA, femB e aacA-aphD utilizando-se a PCR e RT-PCR. As informações obtidas poderão elucidar aspectos acerca dos perfis dos micro-organismos no tocante aos fatores de virulência dos mesmos, permitindo novas abordagens relativas a terapias e medidas de prevenção, visando o incremento da produtividade e qualidade do leite e minimizando prejuízos aos produtores rurais. (AU)