Busca avançada
Ano de início
Entree

Cultivo de células tronco mesenquimais de medula óssea humana sobre scaffolds de Nanoskin para a reconstrução da superfície ocular

Processo: 15/10727-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Silvana Artioli Schellini
Beneficiário:Silvana Artioli Schellini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Alexandre Todorovic Fabro ; Carlos Roberto Padovani ; Claudia Aparecida Rainho ; Gabriel Molina de Olyveira ; Magda Massae Hata Viveiros ; Márcia Guimarães da Silva ; Márcio Eduardo de Melo Viveiros ; Nick Di Girolamo ; Pierre Basmaji ; Ramon Kaneno ; Valdecir Farias Ximenes
Assunto(s):Técnicas in vitro  Oftalmologia 

Resumo

RESUMOCultivo de células tronco mesenquimais de medula óssea humana sobre scaffolds de Nanoskin para a reconstrução da superfície ocularObjetivo: Estabelecer o cultivo das stem cells mesenquimais derivadas da medula óssea e estudar as propriedades da Nanoskin como scaffold para o transplante celular ex vivo em córneas de coelhos.Métodos: O scaffold de celulose bacteriana com fibrilas tridimensionais em nanoescala (Nanoskin), será estudado quanto à sua morfologia em microscopia eletrônica de varredura, quanto à transparência óptica em espectrofotômetro e em relação à imunogenicidade pelo estudo das citocinas inflamatórias por ELISA e pelo teste de linfoproliferação com succinimidil-éster-diacetato-carboxifluoresceína (CFSE). As stem cells mesenquimais (SCMs) obtidas de medula óssea humana serão cultivadas até o segundo subcultivo quando será realizada sua caracterização através de citometria de fluxo. As SCMs serão então induzidas a se diferenciar em células epiteliais da córnea, através do contato com meio condicionado de culturas de células de limbo corneano, com posterior estudo por citometria de fluxo, para confirmar sua transdiferenciação. As SCMs não diferenciadas e diferenciadas em ceratinócitos serão semeadas sobre a Nanoskin, que será estudada quanto à aderência celular em microscopia eletrônica de varredura e quanto à viabilidade celular pelo teste do MTT. Será também desenvolvido um estudo ex vivo com córneas de coelhos em cultura de órgãos, que serão submetidas à desepitelização química e colocação do scaffold com as SCMs sobre as áreas lesadas, a fim de se estudar sua integração, através da marcação com anticorpo antinúcleo humano que permitirá avaliar a presença de células humanas reepitelizando as lesões. (AU)