Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação do CRP3 no processo de aneurisma de aorta abdominal

Processo: 15/11139-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ayumi Aurea Miyakawa Yamaguchi
Beneficiário:Ayumi Aurea Miyakawa Yamaguchi
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:José Eduardo Krieger
Assunto(s):Doenças cardiovasculares  Aneurisma da aorta abdominal  Proteína C-reativa  Células musculares  Músculo liso vascular  Matriz extracelular  Superexpressão gênica 

Resumo

A formação do aneurisma da aorta é caracterizada pela resposta inflamatória, ruptura das fibras elásticas e de colágeno na camada média e adventícia, e perda de células musculares lisas com estreitamento da parede vascular. Dados do nosso laboratório demonstram que a expressão do CRP3 é regulada pelo estresse mecânico e que o aumento do estiramento celular induz a sua expressão em células musculares lisas. Durante o processo de aneurisma, a perda de células musculares lisas e matriz extracelular levam ao aumento de estresse mecânico da parede da aorta e isto pode levar ao aumento da expressão do CRP3. Neste trabalho será investigada a participação do CRP3 durante o processo de formação do aneurisma e como o CRP3 pode modular a rigidez celular, a secreção de citocinas e proteases, e a produção de componentes da matriz extracelular. Desta forma, avaliaremos a expressão de CRP3 em amostras humanas de aneurisma e aorta normal, além de sua expressão em modelo de aneurisma em rato. A formação de aneurisma será avaliada em animais knockout para CRP3 (CRP3-KO) além da capacidade de células musculares lisas em produzir componentes da matriz extracelular (colágeno) e/ou secretar proteases que degradam matriz extracelular frente a estímulos mecânicos e inflamatórios. A super-expressão de CRP3 em células CRP3-KO será utilizada para verificar a reversão/atenuação do processo de aneurisma e a possibilidade de sua utilização como alvo terapêutico. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Proteína pode aumentar a durabilidade das pontes de safena 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.