Busca avançada
Ano de início
Entree

Novas estratégias para o controle das periodontites

Processo: 15/18273-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Marcia Pinto Alves Mayer
Beneficiário:Marcia Pinto Alves Mayer
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Maria Regina Lorenzetti Simionato ; Raquel Mantuaneli Scarel Caminaga
Pesq. associados:Bruno Bueno Silva ; Carlos Ferreira dos Santos ; Caroline Marcantonio Ferreira ; Cláudio Mendes Pannuti ; Cristina Cunha Villar ; Ellen Sayuri Ando Suguimoto ; Fernando Neves Nogueira ; Giuseppe Alexandre Romito ; Katia Sivieri ; Luciana Saraiva ; Magda Feres Figueiredo ; Marcelo de Faveri ; Marinella Holzhausen Caldeira ; Niels Olsen Saraiva Câmara ; Pedro Luiz Rosalen ; Priscila Larcher Longo
Bolsa(s) vinculada(s):19/16164-9 - Determinação da eficiência da adesão de A. actinomycetemcomitans, S. gordonii e S. oralis sobre a película adquirida formada com saliva de pacientes com periodontite agressiva localizada e controles com relação familiar e não relacionados, BP.IC
19/05256-0 - Efeito de probióticos do gênero Lactobacillus sobre a colonização oral e disseminação sistêmica de P. gingivalis em modelo de periodontite experimental em camundongos, BP.IC
18/02318-1 - Efeito de probióticos do gênero Lactobacillus sobre a modulação do inflamassoma e da perda óssea alveolar promovida por periodontite induzida em camundongos saudáveis, BP.MS
+ mais bolsas vinculadas 17/22345-0 - Efeito de probióticos do gênero Bifidobacterium sobre a modulação da resposta imune e nível de perda óssea alveolar promovida por periodontite induzida em camundongos saudáveis e diabéticos, BP.MS
17/16377-7 - Avaliação do efeito de bactérias probióticas sobre a resposta imune contra A.actinomycetemcomitans: estudo em células epiteliais gengivais e em modelo experimental de infecção in vivo, BP.DR
17/10829-3 - Efeito imunomodulatório de bactérias probióticas:análise em monócitos periféricos e células dendríticas, BP.PD
16/14687-6 - Avaliação do potencial imunomodulador de probióticos na doença periodontal, BP.DR
16/13156-7 - Efeitos direto e imunomodulatório das bactérias probióticas sobre os patógenos periodontais, BP.PD
16/13159-6 - Análise da diversidade da microbiota supra e subgengival e perfil de proteínas da saliva e da película do esmalte de indivíduos com periodontite crônica e sucessão microbiana, BP.PD - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Microbiologia  Periodontite  Probióticos  Proteoma  Resposta imune  Biomarcadores  Saliva 

Resumo

Esta proposta visa estabelecer fundamentos para o desenvolvimento de novas estratégias para o controle das periodontites. A hipótese é que o equilíbrio na relação microbiota oral-resposta imune, perdido na periodontite, poderia ser recuperado pelo favorecimento da colonização da cavidade oral por bactérias benéficas e pela modulação da resposta imune. O primeiro subprojeto visa testar se a saliva difere de acordo com condições periodontais, identificando biomarcadores potenciais em pacientes com periodontite agressiva localizada e crônica, e seus controles normais. Microbioma será determinado por sequenciamento de 16SrRNA em amostras orais e fezes. Proteoma de saliva de parótida, total e película adquirida será determinado. O exoma expandido será investigado. Esperamos demonstrar que diferenças na composição da saliva, reflexo de variações no genoma, se relacionam às diferenças no microbioma oral associadas a cada condição periodontal. O segundo subprojeto visa confrontar aspectos funcionais da saliva com sua composição. Diferenças na afinidade dos diferentes grupos microbianos à película serão determinadas por ensaios de formação de biofilme, com inóculo de biofilme oral e isolados bacterianos. A atividade antimicrobiana da saliva, sua capacidade de modular a resposta de macrófagos e a degradação serão determinadas, e relacionadas à composição. Na dependência dos resultados iniciais, podem ser obtidas proteínas recombinantes ou peptídeos sintéticos e estes empregados nas análises funcionais. O terceiro subprojeto visa testar se micro-organismos probióticos apresentam relação antagônica à microbiota patogênica. Cepas de Lactobacillus e Bifidobacterium serão avaliadas quanto ao efeito sobre P. gingivalis e A. actinomycetemcomitans. A capacidade de probióticos inibir os patógenos e/ou a expressão de fatores de virulência e a competição por sítios de adesão em células epiteliais gengivais serão determinadas. O efeito dos probióticos na manipulação da microbiota oral e do intestino será avaliado em modelo SHIME® acrescido do ambiente simulando a boca. O efeito de probiótico(s) sobre a composição do biofilme dental e seu potencial cariogênico será determinado em estudo in situ. Esperamos assim selecionar a cepa probiótica capaz de manipular a microbiota oral, por antagonismo aos periodontopatogênos. O quarto subprojeto visa determinar a capacidade de probióticos modular a resposta imune. Ensaios de co-cultura com probióticos, patógenos periodontais e células epiteliais (OBA-09 e primárias), monócitos humanos (THP-1 e de sangue periférico) e BMC murínicas (selvagem e KO IL-1r, IL-18, TLR-2 e TLR-4)diferenciadas em macrófagos, e células dendríticas serão empregados, avaliando citocinas, expressão gênica, vias de sinalização e funcionalidade na diferenciação de subtipos de linfócitos T. Probióticos serão testados em modelo animal de periodontite por P. gingivalis e A. actinomycetemcomitans em camundongos normais e diabéticos. Esperamos selecionar cepa(s) probiótica(s) capazes de colonizar a cavidade oral e induzir resposta que favoreça a microbiota associada a saúde, em equilíbrio com o hospedeiro. Visando testar se probióticos podem ser usados como adjuvantes ao tratamento periodontal, o quinto subprojeto avaliará o efeito de probióticos sobre a microbiota oral e intestinal em humanos, parâmetros clínicos e perfil de citocinas. Pastilhas dos probióticos serão usadas por pacientes tratados periodontalmente, por 180 dias. Esperamos demonstrar que cepas probióticas são capazes de restabelecer o equilíbrio em pacientes em fase de manutenção do tratamento periodontal, e assim propor o seu uso clínico como estratégia terapêutica no controle da periodontite, e possivelmente de outras condições sistêmicas associadas. Estes resultados contribuirão para estabelecimento de estratégias capazes de interferir na disbiose da microbiota e na resposta do hospedeiro à microbiota residente, favorecendo a manutenção da saúde periodontal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALBUQUERQUE-SOUZA, EMMANUEL; BALZARINI, DANILO; ANDO-SUGUIMOTO, ELLEN S.; ISHIKAWA, KARIN H.; SIMIONATO, MARIA R. L.; HOLZHAUSEN, MARINELLA; MAYER, MARCIA P. A. Probiotics alter the immune response of gingival epithelial cells challenged by Porphyromonas gingivalis. JOURNAL OF PERIODONTAL RESEARCH, v. 54, n. 2, p. 115-127, APR 2019. Citações Web of Science: 0.
MATSUBARA, VICTOR H.; ISHIKAWA, KARIN H.; ANDO-SUGUIMOTO, ELLEN S.; BUENO-SILVA, BRUNO; NAKAMAE, ATLAS E. M.; MAYER, MARCIA P. A. Probiotic Bacteria Alter Pattern-Recognition Receptor Expression and Cytokine Profile in a Human Macrophage Model Challenged with Candida albicans and Lipopolysaccharide. FRONTIERS IN MICROBIOLOGY, v. 8, NOV 29 2017. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.