Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicabilidade das técnicas de elastografia e doppler em cães portadores de hiperadrenocorticismo e no acompanhamento do tratamento com trilostano

Processo: 15/12057-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2016 - 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Leandro Zuccolotto Crivellenti
Beneficiário:Leandro Zuccolotto Crivellenti
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Pesq. associados:Áureo Evangelista Santana ; Leandro Zuccolotto Crivellenti ; Marcus Antônio Rossi Feliciano
Assunto(s):Endocrinologia  Doppler  Técnicas de imagem por elasticidade  Cães 

Resumo

Propõe-se com o presente estudo verificar a aplicabilidade da elastografia ARFI e do Doppler em cães portadores de hiperadrenocorticismo hipófise-dependente (HACHD), assim como durante o tratamento com trilostano Para tanto serão utilizados 30 cães saudáveis (controle) e 10 cães com diagnóstico HACHD advindos dos Hospitais Veterinários da Universidade de Franca (UNIFRAN) e da UNESP, Câmpus de Jaboticabal, SP. Após a realização de exames clínicos, laboratoriais e testes hormonais confirmatórios da doença os cães serão submetidos ao exame ultrassonográfico convencional, Doppler e à elastografia Acoustic Radiation Force Impulse (ARFI) (avaliação quantitativa e qualitativa), com a utilização do aparelho ultrassonográfico ACUSON S2000/SIEMEN e softwares específicos. Os doentes serão acompanhados, pelo mesmo profissional e utilizando as mesmas técnicas de imaginologia durante tratamento com trilostano nos tempos 3 e 6 meses após o inicio do tratamento. A metodologia será cega para os momentos das avaliações e se utilizará nível de significância de 5% para todos os testes realizados. As significâncias da elastografia e Doppler serão obtidas e confrontadas com os animais controle no momento do diagnóstico, e a importância das mesmas no acompanhamento das glândulas adrenais durante o tratamento com trilostano pela comparação destas com as avaliações anteriores. (AU)