Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanocompósitos odontológicos a base de BisGMA/TEGDMA com atividade antimicrobiana utilizando nanopartículas de MMT carregadas com clorexidina

Processo: 16/01319-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2016 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Letícia Cristina Cidreira Boaro
Beneficiário:Letícia Cristina Cidreira Boaro
Instituição-sede: Universidade de Santo Amaro (UNISA). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas 

Resumo

Os materiais restauradores poliméricos são largamente utilizados, mas a contração de polimerização ainda é sua grande desvantagem, pois permite a microinfiltração e cárie secundária. Um material polimérico com atividade antimicrobiana poderia ser muito útil em diversos procedimentos odontológicos como cimentação adesiva, selantes, adesivos dentinarios e material restaurador direto. O objetivo do presente estudo será desenvolver nanocompósitos com finalidade odontológica utilizando MMT (montmorilonita) carregada de clorexidina (CHX) em uma matriz orgânica a base de BisGMA/TEGDMA. Para alcançar esse objetivo, o projeto será dividido em seis diferentes etapas, cada uma delas com um objetivo específico. Etapa 01 - comparar a secagem em estufa com a liofilização do complexo MMT/CHX após a incorporação da CHX em relação a sua estrutura lamelar através de DRX, MEV e MET. Etapa 02 - determinar qual a maior porcentagem em peso de CHX possível de ser incorporada na MMT sem que ocorra esfoliação. Para isso serão incorporadas diferentes concentrações de CHX em incrementos de 1% em peso na MMT até que ocorra a esfoliação, e estas misturas serão avaliadas através de DRX, MEV e MET. Etapa 03 - Serão confeccionados seis compósitos a base de BisGMA/TEGDMA, e a carga utilizada será montmotilonita (MMT) nas concentrações 2,5; 5 e 10% em peso, sendo que metade destes compósitos terá clorexidina (CHX) incorporada na MMT e a outra não. A liberação de CHX será avaliada através de fluorescência em luz ultra-violeta visível (255 nm ) em três soluções com pH neutro (solução fisiológica), ácido e alcalino através de espectroscopia de UV (n=5 para cada solução). A atividade antimicrobiana será avaliada pela formação de halo de inibição em ágar com três bactérias diferentes (Staphylococcus aureus ATCC 29213, Streptococcus mutans UA 159, e Porphyromonas gingivalis W83). Os compósitos confeccionados com as mesmas concentrações apenas de MMT servirão como controle para os testes de atividade antimicrobiana. Para cada grupo serão realizadas 5 repetições. Etapa 04 - verificar a influência da presença da CHX nas propriedades dos compósitos. Os compósitos utilizados terão a mesma composição da etapa 03. Serão confeccionados 20 espécimes (10x2x1) para cada compósito. Metade será armazenada a 37ºC por 24 horas e outra metade armazenada por 4 meses em solução de etanol à 75% à 37ºC. O módulo de elasticidade dos compósitos e a resistência à flexão serão obtidos através do teste de flexão em três pontos. A sorção será avaliada em espécimes cilíndricos (_=15 mm e h=1 mm) de acordo com as normas ISO 4049 (n=5). O grau de conversão será analisado utilizando-se FT-IR (n=5). A contração volumétrica pósgel será mensurada por extensometria (n=5). Etapa 05 - o objetivo desta etapa será determinar qual a menor concentração de CHX presente em um compósito é capaz de resultar em atividade antimicrobiana. Serão confeccionados dez compósitos a base de BisGMA/TEGDMA, e a carga utilizada será montmotilonita (MMT) com clorexidina (CHX) incorporada em concentrações desde 0,05% até 10% em peso. A liberação de CHX será avaliada através de fluorescência em luz ultra-violeta visível (255 nm ) em solução com pH neutro (solução fisiológica) através de espectroscopia de UV (n=5 para cada solução). A atividade antimicrobiana será avaliada pela formação de halo de inibição em ágar com três bactérias diferentes (Staphylococcus aureus ATCC 29213, Streptococcus mutans UA 159, e Porphyromonas gingivalis W83). Para cada grupo serão realizadas 5 repetições. Etapa 06 - o objetivo de verificar se a liberação de CHX se mantém em compósitos mais rígidos (cargas híbridas de sílica/vidro de bário). Nesta etapa os compósitos terão diferentes composições, e a liberação de clorexidina será avaliada através de fluorescência em ultra violeta. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CIDREIRA BOARO, LETICIA CRISTINA; CAMPOS, LUIZA MELLO; COSTA VARCA, GUSTAVO HENRIQUE; RIBEIRO DOS SANTOS, TAMIRIS MARTINS; MARQUES, PAMELA ADELINE; SUGII, MARI MIURA; SALDANHA, NATHALIA RAMALDES; COGO-MULLER, KARINA; BRANDT, WILLIAM CUNHA; BRAGA, ROBERTO RUGGIERO; PARRA, DUCLERC F. Antibacterial resin-based composite containing chlorhexidine for dental. Dental Materials, v. 35, n. 6, p. 909-918, JUN 2019. Citações Web of Science: 0.
GONCALVES, FLAVIA; DE PAIVA CAMPOS, LUIZA MELLO; RODRIGUES-JUNIOR, EZEQUIAS COSTA; COSTA, FABRICIA VIANA; MARQUES, PAMELA ADELINE; FRANCCI, CARLOS EDUARDO; BRAGA, ROBERTO RUGGIERO; CIDREIRA BOARO, LETICIA CRISTINA. A comparative study of bulk-fill composites: degree of conversion, post-gel shrinkage and cytotoxicity. Brazilian Oral Research, v. 32, p. -, 2018. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.