Busca avançada
Ano de início
Entree

Ferramentas inteligentes para controle de vetores e orientação da população contra a dengue

Processo: 15/16004-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de junho de 2016 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação
Pesquisador responsável:Vinícius Mourão Alves de Souza
Beneficiário:Vinícius Mourão Alves de Souza
Empresa:Vinicius Mourão Alves de Souza
Município: São Carlos
Pesquisadores principais:Agenor Mafra Neto ; Eamonn John Keogh ; Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves Batista
Pesq. associados:Diego Furtado Silva
Bolsa(s) vinculada(s):16/11786-3 - Ferramentas inteligentes Pará controle dè vetores e orientação da população contra a dengue, BP.TT
16/12036-8 - Ferramentas inteligentes para controle de vetores e orientação da população contra a dengue, BP.TT
16/11062-5 - Ferramentas inteligentes para controle de vetores e orientação da população contra a dengue, BP.PIPE
Assunto(s):Aprendizado computacional  Tecnologia educacional  Saúde pública  Conscientização  Epidemias  Dengue  Controle de vetores  Aedes aegypti 

Resumo

A dengue é a principal doença viral transmitida por mosquitos e um dos principais problemas de saúde pública não apenas no Brasil, mas em quase todos os países em áreas tropicais e subtropicais do mundo. Epidemias de dengue também são responsáveis por um grande impacto econômico e social nas populações em que ocorrem. Atualmente, devido à falta de uma vacina efetiva contra a dengue, as epidemias somente podem ser evitadas com o controle do mosquito vetor. O controle efetivo somente é possível com o apoio de órgãos governamentais e um alto nível de participação e suporte por parte da população, já que soluções unilaterais, como o uso de inseticidas, não tem se mostrado efetivas a um longo prazo. Infelizmente, a prática tem mostrado que campanhas educacionais realizadas por meio de veículos de mídia de massa não são suficientes para a conscientização da população. Além disso, essas campanhas não permitem acompanhar os resultados das ações de cada indivíduo, orientá-los e motivá-los antes da ocorrência de surtos de epidemia. Dadas as dimensões de um país como o Brasil, essa tarefa parece impossível, mas é exatamente isso que propomos neste projeto. Neste projeto de pesquisa é apresentada uma abordagem inovadora para orientar, motivar e avaliar ações individuais de controle do mosquito Aedes aegypti. Nossa proposta é desenvolver uma armadilha inteligente que possa ser comercializada na forma de um eletrônico de consumo. A armadilha é capaz de atrair e capturar mosquitos, bem como reconhecer e contar automaticamente os mosquitos da espécie Aedes aegypti. A partir da estimativa da população local de mosquitos da dengue é possível avaliar e sugerir atividades de controle personalizadas para o usuário da armadilha por meio de um aplicativo móvel que se conecta à armadilha. Desse modo, a armadilha permite promover ações de controle do vetor da dengue antes da ocorrência de surtos da doença. Além de ser uma solução imediata e ambientalmente segura para a captura de mosquitos adultos, visa tornar cada usuário da tecnologia em um agente de controle no combate à dengue. Além disso, as informações coletadas por diferentes armadilhas podem ser utilizadas para a construção de um mapa colaborativo sobre a densidade populacional dos mosquitos, permitindo ações mais efetivas e em tempo hábil por parte de órgãos governamentais nas regiões com maior incidência do mosquito da dengue. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Projeto desenvolvido no ICMC é contemplado em chamada da USAID