Busca avançada
Ano de início
Entree

Dirigíveis não-tripulados com alta manobrabilidade capazes de vôo ancorado para missões de imagens aéreas e comunicações

Processo: 15/00704-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Aeroespacial - Sistemas Aeroespaciais
Pesquisador responsável:Jonatas Sant'Anna Santos
Beneficiário:Jonatas Sant'Anna Santos
Empresa:Altave Serviços de Manutenção e Instalação de Sistemas de Radiocomunicações Ltda. - ME
Município: São José dos Campos
Pesquisadores principais:Bruno Avena de Azevedo ; Leonardo Mendes Nogueira
Pesq. associados:Davi Antônio dos Santos
Assunto(s):Engenharia aeronáutica  Aeronaves  Aeronaves sem motor  Voo (engenharia de aeronaves)  Dirigíveis  Aeronaves não tripuladas 

Resumo

Veículos mais-leves-que-o-ar são excelentes para missões que incluem permanência por longos períodos ou voos em baixas velocidades. Em especial os dirigíveis, que são capazes de realizar voo pairado e voo aerodinâmico, dispensando combustível para vencer o seu peso. Além disso os dirigíveis são capazes de voo lento, ideal em missões de inspeção, e são mais seguros já que uma falha no sistema propulsivo não implica em queda abrupta e uma ruptura no invólucro não se propaga.Desde 2012 a ALTAVE é parceira do Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA no desenvolvimento do projeto "Plataformas Aéreas Autônomas Não Tripuladas Baseadas em Veículos Híbridos Mais-Leves-Que-o-Ar", apoiado pelo Programa Ciência Sem Fronteiras, em sua modalidade Pesquisador Visitante Especial da CAPES. Neste Projeto foi possível, através de visitas do Prof. Rajkumar Pant, especialista em mais leves que o ar do Indian Institute of Technology, desenvolver protótipos de validação de conceito para dirigíveis autônomos. Ainda, através de outros projetos apoiados por FAPESP e CNPq a ALTAVE atingiu maturidade no projeto, fabricação e testes de aeróstatos cativos, ancorados ao solo através de um cabo. Através da experiência prévia em aeróstatos e participação ativa no desenvolvimento e testes de configurações experimentais de dirigíveis na Índia e no projeto de cooperação com o ITA, a ALTAVE se mostra capaz de superar a etapa FASE 1 através de resultados próprios. Este projeto objetiva desenvolver um dirigível híbrido através da combinação entre dirigível com alto grau de manobrabilidade e balão cativo por ancoragem no solo, sendo equipado com quatro propulsores, tendo elevada autonomia de operação podendo ter flexibilidade de navegação em uma área determinada mantendo link físico com o solo.Espera-se então originar um produto flexível, capaz de realizar inspeções com robustez, mas também capaz de controlar perímetros mais restritos sem preocupação com limitação na autonomia de operação. Além de operação como veículo cativo, pode-se optar por operação como dirigível livre, podendo se deslocar a um novo ponto não visível de seu ponto de ancoragem por exemplo. Como aplicações apresentam-se cenários de Segurança Pública, Defesa, inspeção de linhas de transmissão, inspeção de dutos, monitoramento de áreas agrícolas e florestas. Em particular vislumbra-se o mercado de Veículos Aéreos Não Tripulados, em fase de discussão de regulamentação, mas com grandes vantagens quanto à segurança de voo e probabilidade de aceitação como veículo para uso sobre regiões habitadas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.