Busca avançada
Ano de início
Entree

Consolidação do banco de germoplasmas murinos do CEMIB/UNICAMP para apoiar a pesquisa biomédica

Processo: 16/07294-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de junho de 2016 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: MCTI - Laboratórios Multiusuários
Pesquisador responsável:Rovilson Gilioli
Beneficiário:Rovilson Gilioli
Instituição-sede: Centro Multidisciplinar para Investigação Biológica (CEMIB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Luiz Augusto Corrêa Passos
Assunto(s):Animais geneticamente modificados  Germoplasma  Embrião de animal  Técnicas de reprodução assistida  Espermatozoides animal  Criopreservação  Camundongos  Laboratórios multiusuários  Equipamentos multiusuários 
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Agendamento de uso: E-mail de agendamento não informado

Resumo

Nos últimos anos, o número de modelos animais geneticamente modificados (em especial camundongos e ratos) está aumentando drasticamente e não deverá reduzir o ritmo deste crescimento. A principal razão para isto é que atualmente estes animais estão muito sofisticados e são disponibilizados em grande variedade para a comunidade usuária. Como exemplos, destacamos duas importantes instituições: o ISTT1 (International Society for Transgenic Technologies) e o EMMA2 (European Mouse Mutant Archive), onde na primeira encontram-se instituições envolvidas com a produção de transgênicos e na segunda uma rede colaborativa onde os animais geneticamente modificados são estocados para fornecimento posterior. Enquanto no ISTT estima-se existir atualmente cerca de 4900 linhagens entre animais knockouts, transgênicos e mutantes, produzidos por 133 instituições em 27 países afiliados, no EMMA encontram-se armazenadas, 4050 linhagens de animais geneticamente modificadas distribuídas em 20 famílias e outras 2610 linhagens produzidas pelo consórcio IKMC/IMPC3,4 (International Knockout Mouse Consortium / International Mouse Phenotyping Consortium), um esforço coordenado que tem, entre outros objetivos, mutar todos os genes codificadores presentes no genoma do camundongo, de forma a que se possa descobrir e descrever a função biológica de cada um deles. Fica, portanto claro, que na prática é impossível receber; ampliar ou mesmo manter toda esta diversidade, tanto em razão dos custos como também porque os riscos da perda de seu padrão são enormes. A única alternativa viável é armazená-los criopreservados na forma de embriões; óvulos e espermatozoides. Além disso, a maioria dos animais transgênicos apresentam, frequentemente, deficiências em seus mecanismos de defesa, razão pela qual são muito susceptíveis a doenças infecciosas; manter estes animais vivos é bastante inseguro. Não obstante estas considerações, o futuro próximo sinaliza que também o trânsito de animais de laboratório deverá acontecer, quase que exclusivamente, na forma de embriões ou gametas. Com o apoio de pesquisadores de Hanover e do KFA da Alemanha, o CEMIB instalou o LabCrio, com a missão inicial de atender às necessidades do próprio Centro e da Unicamp. Atualmente encontram-se criopreservadas 57 linhagens de camundongos nos Bancos de Germoplasma da Unidade, sendo que algumas delas já não estão mais em produção no Centro. Contudo, a condição atual do LabCrio não permite qualquer ampliação em suas atividades, frustrando, tanto novas iniciativas no setor, como as solicitações de grupos da Universidade e externos a ela que chegam ao laboratório frequentemente. Paralelamente, nos últimos anos o LabCrio tem oferecido treinamentos a especialistas do Brasil e de outros países e se concedido o aporte solicitado, este programa poderá ser ampliado, contribuindo para que muitas das demandas locais de Instituições de pesquisa, sejam atendidas mais rapidamente e com pessoal próprio. Neste sentido, cumpre destacar que os protocolos em rotina no LabCrio, são os mesmos utilizados atualmente em Centros da Europa; Ásia e Estados Unidos. Este fato é fundamental pois favorece a aproximação do LabCrio com Centros especializados destas regiões que já atuam como redes colaborativas. Assim sendo, a aceitação da presente solicitação terá como consequências: a) a continuidade e aprofundamento de um aporte inicial concedido no passado pela FAPESP quando da instalação do programa CEMIB; b) contribuirá para uma expansão das atividades de rotinas em curso no laboratório; c) ampliará a possibilidade de formação de recursos humanos especializados e d) facilitará a participação do LabCrio do CEMIB em redes colaborativas do Brasil e de outros países, como o EMMA (European Mouse Mutant Archive). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.