Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise transcricional de mucosa intestinal e tecido adiposo mesenterial de pacientes com Doença de Crohn

Processo: 16/01638-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunogenética
Pesquisador responsável:Raquel Franco Leal
Beneficiário:Raquel Franco Leal
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Licio Augusto Velloso ; Marciane Milanski Ferreira ; Maria de Lourdes Setsuko Ayrizono
Assunto(s):Biomarcadores  Gastroenterologia  Doenças inflamatórias intestinais  Doença de Crohn 

Resumo

A doença de Crohn (DC) é afecção crônica intestinal de etiologia multifatorial que vem apresentando aumento da incidência nas últimas três décadas. O acometimento intestinal é de característica transmural, havendo por isso possibilidade de desenvolvimento de fístulas e estenoses. O papel do tecido adiposo mesenterial (TAM) no desenvolvimento dessas complicações da DC, bem como na própria etiopatogênia da doença, não é bem estabelecido. O característico aumento macroscópico do TAM próximo à área intestinal afetada, com envolvimento quase que circunferencial da alça intestinal foi notado desde a descrição da DC, mas existem poucos estudos na literatura que abordam este assunto. No presente projeto pretendemos avaliar amostras de mucosa intestinal e de TAM de pacientes com DC ileocecal, e de indivíduos controles. Será realizado estudo transcricional por meio de análise de RNA-sequencing (RNA-seq), e os genes de interesse serão validados em uma coorte independente por RT-PCR, imunoblot e estudo histológico. Focalizaremos principalmente os transcritos relacionados à ocorrência de stress de retículo endoplasmático tanto na mucosa intestinal quanto no TAM. Para atingir tal objetivo será realizada análise de RNA-seq de 10 doentes com DC ileocecal, dos quais serão obtidas as amostras de mucosa intestinal (Grupo DCI) e de TAM (DCA); e de 10 doentes sem doença inflamatória intestinal (Grupo controle CA) que serão submetidos a procedimento cirúrgico por outras doenças, dos quais serão obtidas amostras de TAM; além de 10 indivíduos com íleo-colonoscopia normal (Grupo controle CI). A coorte de validação biológica será composta com mais 10 outros indivíduos para cada grupo acima citado. Desta forma, este estudo poderá identificar diferenças tecido-específicas que poderiam estar envolvidas com a susceptibilidade à doença, como também constituir potenciais biomarcadores e também potenciais alvos de agentes farmacológicos, individualizando terapêuticas. (AU)