Busca avançada
Ano de início
Entree

Romances em movimento: a circulação transatlântica dos impressos (1789 - 1914)

Processo: 16/13794-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras
Pesquisador responsável:Márcia Azevedo de Abreu
Beneficiário:Márcia Azevedo de Abreu
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/07342-9 - A circulação transatlântica dos impressos: a globalização da cultura no século XIX, AP.TEM
Assunto(s):Romance  Tradução  Século XIX  Leitura 

Resumo

O livro apresenta parte dos resultados obtidos no projeto temático Circulação Transatlântica dos Impressos - a globalização da cultura no século XIX.O conjunto de estudos pretende compreender a ficção oitocentista, questionando três pilares das histórias literárias convencionais: o fechamento sobre um território nacional, a concentração sobre a escrita dos textos e a busca de explicações para a criação literária em grandes questões político-econômicas. Cobrindo uma vasta gama de assuntos, o livro examina os caminhos percorridos pelos romances em seus deslocamentos entre a Europa e o Brasil, investiga o fluxo de traduções em ambos os sentidos, presta atenção aos romances de sucesso e analisa a reação crítica às obras de ficção em ambos os lados do Atlântico.Os estudos baseiam-se principalmente em fontes primárias (como anúncios de publicações à venda; correspondência; pareceres de censura; catálogos de editoras, livrarias e gabinetes de leitura; e textos críticos coetâneos) a fim de saber quais eram as preferências dos leitores; que relação os escritores mantinham com os livreiros e editores, com os críticos, com o público e com seus colegas; quais eram as obras à disposição, como eram editadas e em que suporte circulavam; quais eram as concepções sobre a produção ficcional no período e como as narrativas eram avaliadas; que lugar ocupavam os romances na vida social; e que relação mantinham com o mundo das mercadorias.Os principais resultados do livro são demonstrar que a cultura do século XIX não pode ser adequadamente compreendida, quando se observa um único território, assim como a literatura não pode ser perfeitamente entendida, quando se consideram apenas os textos, ignorando a sua existência material e seu lugar nas práticas sociais e econômicas. (AU)