Busca avançada
Ano de início
Entree

AHNAK permite a produção de vesículas extracelulares por células de carcinoma mamário que aumentam a motilidade de fibroblastos adjacentes

Processo: 16/12087-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Vanessa Morais Freitas
Beneficiário:Vanessa Morais Freitas
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Fibroblastos  Exossomos  Vesículas extracelulares  Neoplasias 

Resumo

A comunicação entre as células epiteliais e estromais é importantepara a regulação da proliferação, do comportamento invasivo, dos processosangiogênicos e metastáticos de células cancerosas. A maioria das células liberamestruturas vesiculares para o espaço extracelular, no qual estariam envolvidas nasinalização celular e na progressão tumoral. As vesículas extracelulares são estruturasesféricas com bicamada proteolipídica e em seu interior existem diversas moléculasbioativas, metabólitos, lipídios, proteínas e material genético, que refletem a condição eo tipo celular de origem. O objetivo deste estudo foi analisar as interações mediadas porvesículas extracelulares entre as células tumorais e fibroblastos normais de mama, bemcomo, caracterizar as estruturas vesiculares derivadas de células tumorais de mama,determinando o número, tamanho, composição e supostas funções das proteínas destasvesículas; verificar o papel destas vesículas na proliferação celular. As células tumoraisforam co-cultivadas com fibroblastos e cada uma das linhagens carregadas comdiferentes corantes vitais. Nossos resultados evidenciaram a presença e a troca devesículas entre as células tumorais e os fibroblastos de mama em co-cultura. Através dasimagens obtidas por MET foi possível a visualização de protrusões das célulascultivadas em monocultura, que possivelmente poderiam originar as vesículas,mostrando que as células tumorais apresentam mais protrusões do que os fibroblastosnormais. Vesículas isoladas das células tumorais mostraram tamanhos e densidadeheterogêneos. Células tumorais apresentaram maiores concentrações de vesículas que ascélulas normais. A seguir, observamos o papel das vesículas extracelulares isoladas dalinhagem celular tumoral MDA-MB-231 em algumas linhagens celulares e vimos queas vesículas induziram a proliferação celular de MCF-7, por meio da ativação da via desinalização ERK 1/2. A análise proteômica mostrou que vesículas extracelularesderivadas de células tumorais de mama MDA-MB-231 são compostas pela proteínaAHNAK, e esta, está distribuída no citoplasma (ao longo da membrana plasmática) eem vesículas das células tumorais de mama. Assim, decidimos silenciar a proteínaAHNAK e verificar suas possíveis funções. Observamos que o silenciamento deAHNAK levou à redução da migração, invasão celular e a troca de vesículas, além dadiminuição do número de protrusões celulares e da produção de vesículas. Com isso,estabelecemos um possível papel para AHNAK na produção e na troca de vesículasextracelulares. AHNAK é mais abundante em tumores de mama e nas metástases delinfonodo, do que no tecido mamário normal. AHNAK pode representar umaimportante molécula do microambiente, presente em vesículas extracelulares, queinfluenciaria na biologia dos tumores de mama, atuando na comunicação célula-célula. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.