Busca avançada
Ano de início
Entree

Plos one

Processo: 16/09949-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Wang Yuan Pang
Beneficiário:Wang Yuan Pang
Instituição-sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Brasil  Epidemiologia 

Resumo

Adversidades na infância tem sido associada com uma série de desfechos clínicos e psiquiátricos. No entanto, os efeitos que adversidades específicas infância têm sobre o suicídio variam entre os estudos.Método: Este foi um estudo transversal, probabilístico, com amostra estratificada em vários estágios, de uma população geral no Brasil, denominado São Paulo Megacity Mental Health Survey. A entrevista Composite International Diagnostic Interview (CIDI) foi aplicado em 5037 indivíduos e 18 anos de idade, a fim de avaliar 12 adversidades diferentes que ocorrem durante a infância e/ou adolescência, bem como para procurar associações entre essas adversidades e suicídio subsequente em diferente estratos etários.Resultados: Mais da metade dos entrevistados relataram pelo menos uma adversidade na infância. Apenas abuso físico foi consistentemente associada a tentativas de suicídio em todas as fases da vida subsequentes (OR = 2.1). Entre os adultos 20-29 anos de idade, a probabilidade de uma tentativa de suicídio foi correlacionada com o divórcio dos pais, enquanto ideação suicida foi associada com o abuso sexual prévio. Entre os adultos com mais de 30 anos de idade, doença física e adversidade econômica foram as adversidades na infância relevantes para as tentativas de suicídio, enquanto que o abuso sexual, violência familiar, e adversidade económica foram associados com ideação suicida.Conclusão: adversidades na infância, especialmente o abuso físico, estão associados com consequências desfavoráveis nos anos subsequentes a sua exposição. Para suicídio ao longo da vida, o papel dos diferentes adversidades na infância deve ser examinado de forma independente. (AU)