Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de novos fatores de virulência de Leptospira envolvidos nos processos de adesão, invasão e resistência ao soro

Processo: 16/05878-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Angela Silva Barbosa
Beneficiário:Angela Silva Barbosa
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/17534-6 - Treinamento em técnicas de biologia molecular, Microbiologia e Imunologia, BP.TT
Assunto(s):Leptospira  Adesão  Invasão 

Resumo

Espiroquetas do gênero Leptospira podem causar leptospirose, uma zoonose de distribuição universal. O gênero Leptospira inclui espécies patogênicas e saprófitas, classificadas em mais de 300 sorovares. Leptospiras patogênicas utilizam estratégias de virulência para colonizar uma gama de hospedeiros, mas os mecanismos relacionados à patogênese da doença ainda são pouco conhecidos. Até então, poucos fatores de virulência foram identificados em consequência do desenvolvimento recente de ferramentas genéticas que permitiram a avaliação de alguns mutantes em modelos animais. A interação da bactéria com moléculas do hospedeiro certamente contribui para os processos de colonização, invasão e evasão imune, mas apesar dos progressos alcançados na área, persistem grandes lacunas no que diz respeito aos mecanismos adotados pela bactéria para causar a doença. O principal objetivo desse projeto, subdividido em duas partes, é identificar proteínas de superfície de Leptospira que possam contribuir para a colonização do hospedeiro. Em estudos prévios feitos pelo grupo, proteínas de membrana externa da bactéria foram incubadas com moléculas do hospedeiro (proteínas da matriz extracelular e da cascata de coagulação assim como reguladores negativos do sistema complemento) pré-imobilizadas em esferas magnéticas. Os ligantes foram identificados por espectrometria de massas. Cinco proteínas contendo domínios relacionados à adesão, presentes apenas nas espécies patogênicas de Leptospira, foram selecionadas para caracterização. No subprojeto 1 essas proteínas serão produzidas em Escherichia coli e ensaios funcionais serão realizados para melhor caracterizar as interações observadas. No subprojeto 2, o envolvimento de duas proteínas moonlighting - enolase e GAPDH - na patogênese da leptospirose será avaliada. O interesse em investigar e explorar o papel de proteínas moonlighting como fatores de virulência em espiroquetas emergiu recentemente e nosso grupo é considerado pioneiro na área. Nesse projeto pretende-se caracterizar as consequências funcionais da interação do plasminogênio com a enolase de Leptospira e também avaliar se a proteína GAPDH desta bactéria apresenta atividades moonlighting relacionadas à adesão, invasão e/ou evasão imune. Dada a necessidade de se desenvolver estratégias preventivas que possam interferir nos mecanismos de invasão e evasão imune da Leptospira, a identificação e caracterização de proteínas envolvidas nesses processos são de fundamental importância. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ABREU, AFONSO G.; BARBOSA, ANGELA S. How Escherichia coli Circumvent Complement-Mediated Killing. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 8, APR 20 2017. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.