Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do resveratrol no controle das alterações ósseas associada à osteoporose: estudo em ratas ovariectomizadas

Processo: 15/24458-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Suzana Peres Pimentel
Beneficiário:Suzana Peres Pimentel
Instituição-sede: Instituto de Ciências da Saúde (ICS). Universidade Paulista (UNIP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Fabiano Ribeiro Cirano ; Fernanda Vieira Ribeiro ; Márcio Zaffalon Casati ; Renato Corrêa Viana Casarin
Assunto(s):Resveratrol  Periodontite  Osteonecrose  Osteoporose 

Resumo

O resveratrol (resv) é um composto com importantes efeitos biológicos agindo na modulação de mediadores inflamatórios e na cascata de eventos relacionados ao metabolismo ósseo. No entanto, não há evidências sobre o impacto do resv no reparo ósseo e na periodontite experimental frente à presença da osteoporose ou da osteonecrose (ONM). Deste modo, o presente estudo tem como objetivos: 1- Avaliar a influência do uso sistêmico do resveratrol no reparo do tecido ósseo ao redor de implantes de titânio colocados em tíbias de ratas ovariectomizados por meio de (a)microtomografia digital computadorizada (Micro-Ct), (b) análise de torque reverso para a remoção dos implantes, (c) avaliação do reparo ósseo pela expressão gênica, determinada por meio de PCR quantitativo e histologicamente. 2-Determinar o papel do resveratrol na modulação da perda óssea alveolar durante a periodontite experimental em animais ovariectomizados por meio de (a) avaliações morfométricas, (b) da análiseimunoenzimática de marcadores locais pró e anti-inflamatórios e/ou relacionados ao estresse oxidativo e (c) da análise da expressão gênica, por meio de PCR quantitativo, de moléculas relacionadas à reabsorção óssea e/ou estresse oxidativo no tecido gengival. 3-Avaliar a influência do uso sistêmico do resveratrol na ocorrência e severidade da osteonecrose dos maxilares de ratas ovariectomizados por meio de (a) microtomografia digital computadorizada (Micro-Ct), (b) avaliação da expressão gênica, por meio de PCR quantitativo, de moléculas relacionadas à necrose e reparo ósseo , (c) e da análise histológica, por meio da avaliação das estruturas teciduais e imunomarcação de mediadores de apoptose e reabsorção óssea. Deste modo, ratos serão distrbuídos nos grupos: (1) OVT+RESV (n:10): animais ovariectomizados receberão tratamento com solução de resveratrol, (2) OVT+PLA (n:10): controle negativo - animais ovariectomizados receberão tratamento com solução placebo, (3) OVT+ZLD+PLA (n:10): controle positivo - animais ovariectomizados receberão tratamento com zoledronato, (4) OVT+RESV+ZLD (n:10): animais ovariectomizados receberão tratamento com solução de resveratrol e zoledronato, (5) SHAM (n:10): animais não-ovariectomizados receberão tratamento com solução placebo. A ovariectomia/sham serão realizadas no dia -84. No dia -42 os grupos que receberão a administração do zoledronato começarão o tratamento. No dia 0 será iniciada a indução da ONM e colocação dos implantes da tíbia esquerda, no dia 28 será feita a indução da periodontite experimental e colocação dos implantes da tíbia direita e no dia 56 será feita a eutanásia. Os tratamentos (de acordo com o grupo) se iniciará no dia -84 e se extenderão até o fim do experimento. Após a eutanásia, um dos implantes será submetido à avaliação tomográfica por meio de Micro-Ct. Os outros implantes serão avaliados por análise de torque reverso e avaliação da expressão gênica dos marcadores ósseos (BMP-2, OPN, OPG, RANKL, Runx2, Osx, ²-catenina e Lrp-5) no tecido peri-implantar, por meio de Real-time PCR. As maxilas do lado direito serão removidas para análise morfométrica e os tecidos gengivais circundantes serão coletados para análise imunoenzimática de marcadores locais pró e anti-inflamatórios e/ou relacionados ao estresse oxidativo (OPG, RANKL, Runx2, Sost e SIRT1) pelo ensaio Luminex/MAGPix e ELISA. No lado esquerdo, os tecidos gengivais circundantes serão coletados para análise da expressão gênica, enquanto a maxila será enviada para análise de microtomografia computadorizada para avaliação da perda óssea alveolar.A osteonecrose será confirmada e determinada quanto à severidade, por parâmetros clínicos, microtomográficos (micro CT), histológicos e de genes diferencialmente expressos (DXX5, CTX, TRACP5b, TNF-±, OPG, RANKL, ²-catenina, SOD, GSH e GAPDH). Os dados serão analisados estatisticamente de acordo com o grau de normalidade (ANOVA ou Kruskal Wallis), em nível de significância de 5%. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.