Busca avançada
Ano de início
Entree

Didática nos cursos de Relações Públicas: desafios e perspectivas do ensino universitário

Processo: 16/05909-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Comunicação - Relações Públicas e Propaganda
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Ferrari
Beneficiário:Maria Aparecida Ferrari
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/19616-0 - Didática nos cursos de Relações Públicas: desafios e perspectivas do ensino universitário, BP.TT
16/19638-3 - Didática nos cursos de Relações Públicas: desafios e perspectivas do ensino universitário, BP.TT
Assunto(s):Relações públicas  Brasil  Didática 

Resumo

A Lei nº 5.377 de 1967, no artigo 4º., Capítulo II, determina que as disciplinas específicas de Relações Públicas sejam ministradas por profissionais habilitados no curso de Relações Públicas. No ano de 2013, esta exigência foi reforçada pelas novas Diretrizes Curriculares Nacionais que incluem o exercício da docência como uma das competências a ser desenvolvida nos egressos. No entanto, resultados preliminares de estudo coordenado por Ferrari et al (2014, 2015) mostraram lacunas na formação dos estudantes para a prática do ensino e na preparação pedagógica dos docentes de disciplinas específicas de Relações Públicas. Diante deste cenário, este estudo tem como objetivo identificar as práticas educacionais utilizadas em sala de aula e as dificuldades didáticas enfrentadas pelos docentes dos cursos de Relações Públicas no Brasil. Na primeira etapa do projeto será utilizada uma base de dados nacionais sobre o processo ensino-aprendizagem das Relações Públicas para comparar o perfil didático pedagógico dos cursos oferecidos pelas Instituições Públicas e Privadas e identificar os cursos e docentes com práticas educacionais diferenciadas. Na segunda etapa serão realizadas entrevistas com coordenadores e professores desses cursos contemplando Instituições de Ensino Superior das cinco regiões brasileiras. Os resultados do inédito estudo servirão para que coordenadores e professores dos cursos de Relações Públicas reavaliem as metodologias de ensino-aprendizagem: a) na inclusão de disciplinas que desenvolvam competências pedagógicas nos estudantes como determina as novas Diretrizes Curriculares (2013); b) no planejamento de atividades de capacitação docente e c) no incentivo aos jovens egressos para que abracem a carreira acadêmica, uma vez que esta atividade não é atrativa, em detrimento da carreira em empresas e agências de comunicação. (AU)