Busca avançada
Ano de início
Entree

Production and soil responses to intercropping of forage grasses with corn and soybean silage

Processo: 16/17485-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Ciniro Costa
Beneficiário:Ciniro Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Manejo do solo  Qualidade do solo  Silagem  Consorciação de culturas  Milho  Capim marandu 

Resumo

O correto manejo dos sistemas agrícolas é necessário para simultaneamente, aumentar a produção e melhorar a qualidade do solo. Foram investigados os efeitos do consórcio de capins na produção de milho (Zea mays L.) colhido para silagem a 0,20 e 0,45 m de altura no verão, bem como na subsequente produção de forragem, produção de silagem de soja [Glycine max (L.) Merr.] e alterações físicas e químicas de um Latossolo Vermelho distrófico, em Botucatu, SP, Brasil. O capim-marandu [Urochloa brizantha (Hochst. Ex A. Rich.) R. Webster 'Marandu'] foi a cultura consorciada com milho (Anos 1 e 2), enquanto que o capim-braquiarinha [Urochloa decumbens (Stapf) R. Webster 'Basilisk' ] foi a espécie residual de convivência em comparação. O capim-aruãna [Urochloa maxima (Jacq.) R. Webster 'Aruanã'] foi a cultura consorciada com soja (Ano 3), com apenas efeito residual dos sistemas de cultivo provenientes dos dois anos anteriores. Quando cortado na altura de 0,45 m em comparação com a altura de 0,20 m, o milho em consórcio com capim-marandu apresentou maiores concentrações de nutrientes foliares, melhores características agronômicas, maior massa de forragem da pastagem para pastejo por cordeiros (Ovis aries), maior produção de palhada, e maior quantidade de N, P e K ciclado para o solo. Maiores teores de matéria orgânica, P, K e Mg, e saturação por bases na superfície do solo, bem como, menor resistência à penetração do solo em todas as profundidades também ocorreram no consórcio do milho com capim-marandu na altura de corte de 0,45 m para silagem, em relação a altura de 0.20 m. Analisando o sistema como um todo, a colheita da cultura do milho consorciado com capim-marandu para silagem na altura de 0,45 m foi a opção mais viável neste sistema integrado de produção agropecuária (SIPA). (AU)