Busca avançada
Ano de início
Entree

Dissecting the paracoccin interaction with toll-like receptors N-glycans: a necessary step in the design of a novel immunomodulatory agent applicable to confer protection against fungal diseases

Processo: 16/50004-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Convênio/Acordo: Imperial College, Reino Unido
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Pesq. responsável no exterior: Ten Feizi
Instituição no exterior: Imperial College London, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/04088-0 - Lectinas de patógenos, AP.TEM
Assunto(s):Imunomodulação  Lectinas  Toxoplasma gondii  Paracoccidioides brasiliensis  Proteínas recombinantes  Receptores toll-like  Cooperação internacional 

Resumo

O grupo proponente tem estudado regularmente o reconhecimento de glicanos de células do hospedeiro par lectinas de patógenos e as respostas biológicas desencadeadas por tal reconhecimento. Lectinas de dois patógenos vêm sendo especialmente estudadas: 1) proteínas secretadas por micronemas do protozoário Toxoplasma gondii, TgMIC1 e TgMIC4, que reconhecem, respectivamente, glicanos que tem ácido siálico e beta-galactose como resíduos terminais; 2) proteína da superfície de leveduras de Paracoccidioides brasiliensis, denominada paracoccina, que reconhece N-acetilglucosamina. Em ambos os casos, as lectinas foram isoladas por cromatografia de afinidade em colunas de cada açúcar especifico. Essas formas nativas foram parcialmente caracterizadas do ponto de vista estrutural e de propriedades biológicas. A relevância das atividades por elas desempenhadas levou-nos a clonar- o gene que codifica cada lectina e expressá-lo heterologamente. As proteínas recombinantes obtidas foram verificadas quanto à reprodutibilidade das propriedades das lectinas nativas. Estudos funcionais revelaram que tais lectinas, tanto derivadas de T. gondii como de P. brasiliensis, exercem papéis relevantes na biologia da patógeno, bem como efeitos importantes sobre células da imunidade do hospedeiro. O reconhecimento envolvido na indução desses efeitos, a identificação das moléculas que contém os alvos do reconhecimento, a sinalização celular por ele desencadeada, as respostas celulares de ativação celular e produção de mediadores imunológicos dele decorrentes, bem como as consequências desses processos [...]. (AU)