Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da ubiquitina em garanhões com alta e baixa congelabilidade e aplicação da coenzima Q-10 como promotora da função mitocondrial espermática

Processo: 16/14626-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Rubens Paes de Arruda
Beneficiário:Rubens Paes de Arruda
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Eneiva Carla Carvalho Celeghini
Assunto(s):Andrologia  Espermatozoides  Cavalos  Citoesqueleto  Equinos 

Resumo

Estudos demonstram que uma das principais limitações para o uso do sêmen congelado equino é a alta variabilidade entre garanhões com relação a capacidade espermática em sobreviver à criopreservação. A ubiquitina é uma molécula que está envolvida em uma via de degradação de proteínas danificadas, ou com erros de síntese. Este processo ocorre na passagem do espermatozoide pelo epidídimo e está relacionado com a infertilidade no macho. Por outro lado, a coenzima Q-10 (CoQ-10), é um cofator na cadeia de transporte de elétrons na mitocôndria, essencial para a produção de energia em forma de ATP e pode ser uma alternativa para melhorar a qualidade do sêmen criopreservado equino. Levando em consideração citações acima, delineou-se dois experimentos. Em ambos serão utilizados 4 garanhões com alta resistência a congelabilidade (AC) e 4 com baixa resistência a congelabilidade (BC). Cada animal será submetido a 5 colheitas de sêmen seguidas de congelações. Experimento 1: analisará a quantidade de ubiquitina em garanhões com alta e baixa congelabilidade pela técnica de sperm-ubiquitin tag immunoassay (SUTI) e correlacionará com outros parâmetros do sêmen como características de motilidade espermática (CASA), integridades de membrana plasmática, acrossomal e potencial de membrana mitocondrial (através das sondas fluorescentes iodeto de propídeo, Hoechst 33342, JC-1 e FITC-PSA), alterações no citoesqueleto (phalloidin-FITC) e morfologia espermática (DIC). Experimento 2: o sêmen será criopreservado com a adição da CoQ-10 a 50µM enquanto a amostra controle será criopreservada somente com Botucrio®. As partidas de sêmen serão analisadas quanto às mesmas características do experimento 1, excluindo-se a técnica de SUTI e adicionando-se a função mitocondrial (DAB e sonda fluorescente Mito Traker Red®). (AU)