Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento físico em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica: um ensaio clínico, controlado e randomizado

Processo: 16/10993-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Hamilton Augusto Roschel da Silva
Beneficiário:Hamilton Augusto Roschel da Silva
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Bruno Gualano ; Fabiana Braga Benatti ; Rosa Maria Rodrigues Pereira ; Samuel Katsuyuki Shinjo
Assunto(s):Obesidade mórbida  Exercício físico  Cirurgia bariátrica  Fisiologia do exercício 

Resumo

A obesidade é definida pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, usualmente mensurada e classificada através da medição da altura e peso corporal do indivíduo. Assim, a obesidade pode ser definida como IMC e 30 kg/m2. No Brasil, utiliza-se a expressão obesidade mórbida para definir-se casos extremos de obesidade. Assim, a obesidade mórbida é definida como um IMC e 40 kg/m2 ou maior que 35 kg/m2 associado com comorbidades clínicas significativas (Gastrointestinal surgery for severe obesity: National Institutes of Health Consensus Development Conference, 1991). É um problema mundial de saúde pública, cuja prevalência vem aumentando significantemente. A partir da década de 80, a obesidade tornou-se uma epidemia global em diversas faixas etárias da população (ENGELAND et al., 2003), com uma estimativa por parte Organização Mundial de Saúde (OMS) da existência de aproximadamente 500 milhões de obesos com índice de massa corporal (IMC) acima de 30 kg/m2 (STURM, 2003). De maneira ainda mais alarmante, estima-se que a quantidade de pessoas com obesidade mórbida tenha aumentado em até cinco vezes nos últimos 15 anos (DIMICK e BIRKMEYER, 2014).A relação da obesidade com o aumento da mortalidade está associada com a presença de diversas comorbidades como a hipertensão arterial sistêmica (HAS), diabetes mellitus tipo 2 (DM2), câncer, doença hepática gordurosa não alcoólica e doença cardiovascular (MAGLIO et al., 2013; LAVIE et al., 2014; NGUYEN et al., 2014; RODRIGUEZ-GALLEGO et al., 2014; YOUNG et al., 2014). De maneira importante, estudos demonstram que indivíduos obesos apresentam redução da aptidão cardiorrespiratória, representado pelo consumo máximo de oxigênio (VO2máx), sendo esse um preditor independente de mortalidade por todas as causas e por doenças cardiovasculares (BLAIR et al., 1995; FERREIRA et al., 2003). Entretanto, essa redução do VO2máx. e, consequente, aumento da chance de mortalidade, não parece ser dependente do IMC e da adiposidade total (KODAMA et al., 2009). Assim, a alta prevalência de inatividade física indubitavelmente parece explicar, mesmo que parcialmente, o baixo condicionamento cardiorrespiratório em indivíduos obesos, especialmente em obesos mórbidos (GALLAGHER et al., 2005).A redução do peso corporal (através da cirurgia bariátrica ou não) e o exercício físico são opções de tratamento importantes no manejo clínico da obesidade. Entretanto, permanece a discussão a respeito dos respectivos efeitos aditivos do treinamento físico em pacientes submetidos a cirurgia bariátrica. Adicionalmente, recentes revisões destacam que futuros estudos ainda são necessários para elucidar o efeito do treinamento físico em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica. Desta forma, o presente projeto abordará as seguintes questões: 1)O treinamento físico é capaz de atenuar a redução de massa óssea em indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica? 2)O treinamento físico é capaz de atenuar a inflamação sistêmica em indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica?3)O treinamento físico pode otimizar a oxidação lipídica e melhorar a resistência à ação da insulina no músculo esquelético em indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica? (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BASSINELLO, DIOGO; PAINELLI, VITOR DE SALLES; DOLAN, EIMEAR; LIXANDRAO, MANOEL; CAJUEIRO, MONIQUE; DE CAPITANI, MARIANA; SAUNDERS, BRYAN; SALE, CRAIG; ARTIOLI, GUILHERME G.; GUALANO, BRUNO; ROSCHEL, HAMILTON. Beta-alanine supplementation improves isometric, but not isotonic or isokinetic strength endurance in recreationally strength-trained young men. Amino Acids, v. 51, n. 1, p. 27-37, JAN 2019. Citações Web of Science: 1.
DOLAN, E.; SAUNDERS, B.; DANTAS, W. S.; MURAI, I. H.; ROSCHEL, H.; ARTIOLI, G. G.; HARRIS, R.; BICUDO, J. E. P. W.; SALE, C.; GUALANO, B. A Comparative Study of Hummingbirds and Chickens Provides Mechanistic Insight on the Histidine Containing Dipeptide Role in Skeletal Muscle Metabolism. SCIENTIFIC REPORTS, v. 8, OCT 3 2018. Citações Web of Science: 2.
FERRAZ, RODRIGO BRANCO; GUALANO, BRUNO; RODRIGUES, REYNALDO; KURIMORI, CECI OBARA; FULLER, RICARDO; LIMA, FERNANDA RODRIGUES; DE SA-PINTO, ANA LUCIA; ROSCHEL, HAMILTON. Benefits of Resistance Training with Blood Flow Restriction in Knee Osteoarthritis. MEDICINE AND SCIENCE IN SPORTS AND EXERCISE, v. 50, n. 5, p. 897-905, MAY 2018. Citações Web of Science: 5.
LIXANDRAO, MANOEL E.; UGRINOWITSCH, CARLOS; BERTON, RICARDO; VECHIN, FELIPE C.; CONCEICAO, MIGUEL S.; DAMAS, FELIPE; LIBARDI, CLEITON A.; ROSCHEL, HAMILTON. Magnitude of Muscle Strength and Mass Adaptations Between High-Load Resistance Training Versus Low-Load Resistance Training Associated with Blood-Flow Restriction: A Systematic Review and Meta-Analysis. SPORTS MEDICINE, v. 48, n. 2, p. 361-378, FEB 2018. Citações Web of Science: 24.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.