Busca avançada
Ano de início
Entree

Instabilidades em escoamentos granulares densos

Processo: 16/13474-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Fenômenos de Transportes
Pesquisador responsável:Erick de Moraes Franklin
Beneficiário:Erick de Moraes Franklin
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Mecânica dos fluidos  Fluido supercrítico  Grãos 

Resumo

Os meios granulares correspondem a um conjunto de partículas sólidas (grãos) e são abundantes na Terra: 20% das superfícies emersas da Terra são formadas por areia e outros fragmentos rochosos. Além disso, a produção mundial de grãos é de aproximadamente 10 bilhões de toneladas por ano e seu processamento consome aproximadamente 10% da energia utilizada no mundo. O escoamento e o transporte destes materiais, seja por simples ação da gravidade, pelo cisalhamento de uma superfície sólida, ou pelo cisalhamento de um fluido, faz parte de nosso cotidiano. Na natureza, ele está presente na erosão de margens de rios, na formação de dunas nos desertos, e na ocorrência de avalanches e deslizamentos de terra, por exemplo. Na indústria, ele está presente na extração de petróleo, em processos farmacêuticos e agroalimentares, e na dispersão de poluentes sólidos. Desta forma, um melhor conhecimento do transporte denso de grãos é fundamental para a compreensão da natureza e para o domínio de diversos processos industriais. Entretanto, embora presentes em diversos domínios científicos, estes escoamentos e suas instabilidades continuam mal compreendidos. Este plano propõe a execução de estudos teóricos e experimentais da física dos meios granulares, do escoamento denso de grãos, e das instabilidades às quais este escoamento está sujeito. Os experimentos serão realizados em diversas configurações (confinados ou livres, com ou sem escoamento de um fluido, etc.). Baseadas nos experimentos realizados e em métodos da matemática aplicada, formulações teóricas serão propostas para estes problemas. O objetivo principal será a identificação de similaridades básicas e de diferenças fundamentais de forma a se buscar a unificação de alguns modelos físicos aplicáveis a escoamentos densos de grãos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisa ajuda a entender a dinâmica de formação das dunas 

Publicações científicas (6)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CUNEZ, FERNANDO DAVID; FRANKLIN, ERICK. Plug regime in water fluidized beds in very narrow tubes. Powder Technology, v. 345, p. 234-246, MAR 1 2019. Citações Web of Science: 0.
ALVAREZ, CARLOS A.; FRANKLIN, ERICK M. Role of Transverse Displacements in the Formation of Subaqueous Barchan Dunes. Physical Review Letters, v. 121, n. 16 OCT 19 2018. Citações Web of Science: 0.
CHIMETTA, BRUNO PELISSON; HOSSAIN, MOHAMMAD ZAKIR; FRANKLIN, ERICK DE MORAES. Numerical solution for Kapitza waves on a thin liquid film. Journal of the Brazilian Society of Mechanical Sciences and Engineering, v. 40, n. 8 AUG 2018. Citações Web of Science: 0.
MELETTI DE OLIVEIRA, GABRIEL MALTESE; FRANKLIN, ERICK DE MORAES. Transitions between smooth and rough surfaces in turbulent channel flows for d- and k-type rough elements. Journal of the Brazilian Society of Mechanical Sciences and Engineering, v. 40, n. 4 APR 2018. Citações Web of Science: 0.
CUNEZ, FERNANDO DAVID; GOMES DE OLIVEIRA, GABRIEL VICTOR; FRANKLIN, ERICK DE MORAES. Turbulent channel flow perturbed by triangular ripples. Journal of the Brazilian Society of Mechanical Sciences and Engineering, v. 40, n. 3 MAR 2018. Citações Web of Science: 0.
ALVAREZ, CARLOS A.; FRANKLIN, ERICK M. Birth of a subaqueous barchan dune. Physical Review E, v. 96, n. 6 DEC 18 2017. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.