Busca avançada
Ano de início
Entree

Equipamento de ressonância magnética nuclear para análise não destrutiva de produtos agrícolas e alimentos

Processo: 16/00989-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:André de Souza Carvalho
Beneficiário:André de Souza Carvalho
Empresa:Fit Comércio, Importação e Exportação de Máquinas e Equipamentos Odonto-Médicos Hospitalares e Laboratoriais Ltda
Município: São Carlos
Pesquisadores principais:Luiz Alberto Colnago
Bolsa(s) vinculada(s):16/25055-0 - Desenvolvimento de pacotes de processamento de dados para análise de sinais de RMN, BP.TT
16/24952-9 - Simulação e construção de magnetos em arranjo Halbach compacto para RMN, BP.TT
Assunto(s):Espectroscopia de ressonância magnética nuclear  Ressonância magnética nuclear  Relaxometria  Qualidade dos alimentos  Análise de alimentos  Produtos agrícolas  Frutas 

Resumo

O setor agrícola é um dos maiores contribuidores para a economia brasileira, representando 16% de Produto Interno Bruto do país e nos colocando como terceiro maior exportador agrícola no mundo. Este setor apresenta uma alta demanda por tecnologias e métodos para otimização de processos e certificação da qualidade de produtos. Muitos dos métodos físico-químicos já utilizados pela indústria são laboriosos, destrutivos ou simplistas. Exemplos disso são processos que selecionam frutas por inspeção visual, por peso ou métodos espectroscópicos que se limitam a analisar apenas a superfície do produto. Por se tratar de uma técnica não destrutiva, que analisa as propriedades internas do produto, a espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear (RMN) resulta muitas vezes em análises muito mais precisas quando comparadas com outras técnicas, otimizando processos de maneira considerável, como demonstram diversos trabalhos publicados na literatura científica. Apesar de já presente no setor agrícola e alimentício, a utilização da espectroscopia de RMN ainda é muito tímida, tendo como principal empecilho a necessidade de soluções específicas para cada problema industrial, o elevado custo total associado e o desenvolvimento de equipamentos adequados a cada utilização. O presente projeto tem como objetivo desenvolver um equipamento comercial de baixo custo completo, transportável e com a capacidade de realizar análises físico-químicas de produtos agrícolas e alimentares, principalmente para medida de teor de óleo no Dendê in natura, análise de frutas in natura ou processadas, e detecção de adulteração de azeite. Dessa forma, o projeto resultará em um equipamento de ressonância magnética nuclear, nacional e de alta qualidade para o mercado agrícola, atendendo a demanda por soluções inovadoras no controle de produção ou qualidade de produtos em centros produtores, atacado e varejo e por importadores e exportadores. (AU)

Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o auxílio:
Empresa de São Carlos inova ao usar ressonância magnética para avaliar qualidade de alimentos