Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização in vitro e in vivo de blendas a base de cimento aluminoso visando aplicação no reparo e regeneração do tecido ósseo

Processo: 16/15032-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Ivone Regina de Oliveira
Beneficiário:Ivone Regina de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D). Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Larissa Moreira Spinola de Castro Raucci ; Luana Marotta Reis de Vasconcellos ; Paulo Tambasco de Oliveira
Assunto(s):Propriedades físico-químicas  Biomateriais 

Resumo

O aluminato de cálcio como biomaterial tem sido avaliado por mais de duas décadas com relação as suas propriedades físicas, mecânicas e de biocompatibilidade. Os materiais a base de aluminato de cálcio exibem, devido suas características únicas de cura/endurecimento e microestrutura, um grande potencial como biomaterial. Estudos relatam aplicação dos cimentos de aluminato na ortopedia para reparo de defeitos ósseos devido a sua composição e coeficiente de expansão térmica bastante semelhante ao do osso humano. A pesquisadora responsável por esse projeto tem contribuído com esses estudos por meio do desenvolvimento dos projetos FAPESP (2009/17451-0; 2013/22502-8); patente concedida (carta patente PI0704502-6) "Composição à base de cimento aluminoso para aplicação em endodontia e produto cimentício obtido" e artigos técnicos. Blendas de CAC contendo 4 %-p dos diferentes compostos, com exceção de colágeno e quitosana, resultaram em amostras com alta resistência mecânica (similar ao PMMA). Além disso, as composições se mostraram bioativas quando em contato com fluido corporal simulado, sendo que a composição CAC-15%ZnO:10%Bi2O3 também apresenta radiopacidade adequada para propósitos clínicos. Resultados preliminares in vitro também avaliaram a viabilidade de células osteoblásticas quando em contato com as blendas apontando resultados promissores principalmente para as amostras contendo zircônia, colágeno e óxido de zinco. Estudos com composição a base de CAC contendo 10%-p CaCl2 (CAC+) apoiaram a aquisição do fenótipo de células osteogénicas em vitro, tornando este novo material uma alternativa potencial em procedimentos endodônticos. Entretanto, estudos in vivo são necessários para verificar se o efeito benéfico in vitro do CAC+ em células osteoblásticas correspondem a um aumento e/ou aceleração da reparação óssea na região periapical. Dentro deste contexto, o presente projeto propõe a continuação desses estudos por meio de ensaios físico-químicos complementares, ensaios in vitro e in vivo que ainda se fazem necessários para avaliação quanto à eficiência de composições a base de CAC no reparo e regeneração do tecido ósseo, quando comparado ao PMMA. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SALOMAO, RAFAEL; FERREIRA, VERIDIANA LOPES; COSTA, LIGIA M. M.; DE OLIVEIRA, IVONE REGINA. Effects of the initial CaO-Al2O3 ratio on the microstructure development and mechanical properties of porous calcium hexaluminate. CERAMICS INTERNATIONAL, v. 44, n. 2, p. 2626-2631, FEB 1 2018. Citações Web of Science: 3.
Improving the Radiopacity of Calcium Aluminate Cement Based Blends. MATERIALS RESEARCH-IBERO-AMERICAN JOURNAL OF MATERIALS, n. ahead, p. -, 2018.
DE OLIVEIRA, IVONE REGINA; VIEIRA, GABRIELA DO VALE; DOS SANTOS, KENNEDY WALLACE; RANIERO, LEANDRO JOSE; CASTRO-RAUCCI, LARISSA MOREIRA; DE OLIVEIRA, PAULO TAMBASCO; FORNARI, CELSO ISRAEL; PANDOLFELLI, VICTOR CARLOS. Improving the Radiopacity of Calcium Aluminate Cement Based Blends. MATERIALS RESEARCH-IBERO-AMERICAN JOURNAL OF MATERIALS, v. 21, n. 2, p. -, 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.